summary_large_image
A IMPORTÂNCIA DAS PESSOAS
Estádios vazios não geram dinheiro, estádios vazios não pagam ordenados e por muito que se continuem a pagar quotas, um estádio vazio será sempre algo que dói a qualquer amante do desporto rei.
29 Nov 2020, 15:51

Até a pandemia acalmar, até a vacina chegar, por muito que se diga, por muito que se veja na televisão, por muito que se sintam os jogos, o sentimento pelo futebol nunca vai ser igual.

É lógico que continuamos a apoiar, a vibrar, mas em casa, sentados no sofá, com um copo de vinho à frente, com o descanso de saber que estamos em primeiro por mais uma semana, mas o sentimento de ir à bola, sentar nas bancadas de um Estádio que sonha no mesmo tom,  o sentimento de querer estar ali, de ajudar a conquistar os 3 pontos com as vozes em uníssono, está a perder-se e isso assusta-me tanto.

O desporto é feito por pessoas, para pessoas e quem não pensar dessa maneira, pode dedicar-se a qualquer outra coisa, porque está visto que não entende nada do assunto. Não há um jogador de qualquer modalidade desportiva que prefira jogar sem adeptos, não há um jogador que ache que a equipa jogue melhor sem ninguém nas bancadas.

Sem adeptos, a única vantagem que pode ser vista está no facto de as indicações do treinador poderem ser ouvidas mais facilmente, de resto, não me venham com tretas: estádios vazios não geram dinheiro, estádios vazios não pagam ordenados e por muito que se continuem a pagar quotas, um estádio vazio, será sempre algo que dói a qualquer amante do desporto Rei.

Com a morte de Diego Armando Maradona esta semana conseguimos perceber isso também, as pessoas, as mesmas que alguns dizem que prejudicam a prestação em jogos, juntaram-se, deixaram a pandemia de lado e até adeptos de clubes rivais se abraçaram para chorar a morte daquele foi um dos maiores monstros de todos os tempos em campo.

Portanto não me venham dizer que no caso do Sporting por não haver contestação à direcção audível em cada jogo, que a equipa joga melhor. Não jogou, não joga e nunca jogará. E quem o pensa, que peça, como disse, e bem,  o Pedro Varela no passado Sporting160, às bancadas vazias para pagarem quotas, que peça às bancadas vazias para comemorar vitórias, que peça às bancadas vazias para pagar ordenados.

  Comentários
Mais Opinião
Mariana Cordeiro Ferreira
CASA ONDE NÃO HÁ PÃO…
E os Sportinguistas já não têm essa paciência, os Sportinguistas estão cansados de esperar, de pensar que "para o ano é que é".
Mariana Cordeiro Ferreira
SER OU PARECER
Neste momento e em termos Europeus, o Sporting é Grande sim, em Hóquei e em Futsal por exemplo, mas no que diz respeito ao futebol, a conversa volta novamente a ser outra.
Mariana Cordeiro Ferreira
PARA TI, BRUNO!
Leva contigo o Esforço, a Dedicação a Devoção e a Glória que por cá aprendeste, porque aí, a história de quem vai vestido de verde e branco, é feita de títulos e tu mereces ganhá-los.
Mariana Cordeiro Ferreira
#DIADESPORTING
É altura de colocar o cachecol, vestir a camisola e preparar a voz... porque o amor chama e a este nunca viraremos as costas.
Mariana Cordeiro Ferreira
ESTE AMOR QUE NOS CONSOME
É o amor que me faz ter um 1906 tatuado, é o amor que me deixa com a lágrima no olho cada vez que vejo uma criança com o símbolo do leão rampante ao peito.
Mariana Cordeiro Ferreira
OBRIGADA MÃE POR ME TERES FEITO DO SPORTING
Hoje, vou levá-la à bola outra vez e já vou conseguir vê-la a cantar O Mundo Sabe Que com o cachecol ao alto e é aí que a emoção vai falar mais alto outra vez, porque se é amor, a ela o devo.
Mariana Cordeiro Ferreira
EXISTEM DIAS
Seria tão fácil dizer que para mim já chega, que estou cansada, que vou deixar de pagar quotas, mas a palavra fácil nunca esteve presente no nosso dicionário.