summary_large_image
A IMPORTÂNCIA DE COMUNICAR BEM
Para além do plano técnico e tático, há algo que é fundamental nos dias de hoje, e que Rúben Amorim faz de forma exemplar, que é saber comunicar bem e fazê-lo de forma muito competente e assertiva.
28 Nov 2020, 12:42

Rúben Amorim, já todos sabíamos que era um bom treinador, e está a provar no Sporting, pelo seu trabalho, assente em ideias e princípios de jogo muito próprios, que será mesmo um treinador de topo e que aí se manterá por muitos anos.

Mas, para além do plano técnico e tático, há algo que é fundamental nos dias de hoje, e que Rúben Amorim faz de forma exemplar, que é saber comunicar bem e fazê-lo de forma muito competente e assertiva.

Consegue comunicar de forma clara para que todos entendam o que diz, é realista no que comunica e motivacional para com os que consigo trabalham, pois, sendo o líder que ninguém contesta, é também percetível a quem está de fora do grupo que se impõe pelo exemplo.

A conferência de imprensa de ontem, no lançamento do jogo de hoje com o Moreirense, foi mais um exemplo do que acabei de dizer.

Retirou pressão aos seus jogadores, que, como sabemos, a maioria são jovens atletas e alguns ainda com a idade de juniores, dizendo o que é claro, e o que tem que ser o pensamento de um líder no Sporting: “há mais pressão no 3.º ou 4.º lugar do que estar em primeiro”.

Questionado sobre qual o segredo do atual Sporting, ao contrário de muitos grandes egos, que teriam aproveitado para falar maioritariamente em si, falou mais uma vez da equipa, referiu de forma objetiva que: “É a união da equipa e a qualidade dos jogadores” … “os jovens aumentam o nível da qualidade e o nível de treino. São muito ambiciosos e unidos”.

Sabemos todos que estar a ganhar ajuda sempre, mas já se percebeu que este Sporting, com a liderança de Rúben Amorim, tem atitude e estofo mental para quando aparecerem alguns resultados negativos, que como sabemos vão aparecer. É responsabilidade de todos nós, sportinguistas, continuar a acreditar no trabalho da equipa técnica e dos jogadores.

Termino hoje recordando Maradona, “ o Deus jogador” que todos admirávamos com uma bola nos pés, mas que fora dos relvados por vezes nos chocava com o seu pueril sentido de vida. O único jogador que teve direito a estar num poster equipado à Nápoles, no meu quarto de jovem adolescente, ao lado dos posters das equipas do Sporting e dos nossos jogadores equipados de leão ao peito.

Jamais esqueceremos o ano de 1989 quando o Sporting defrontou o Nápoles de Maradona e o Ivkovic apostou cem dólares e a sua camisola em como lhe defendia o penálti, o que veio a acontecer.

E como relembra Manuel José: “No final do jogo estávamos todos tristes, como é normal. A dada altura, aparece-nos no balneário o Maradona a cantar e a dançar, todo contente, com cem dólares numa mão e a camisola dele noutra. Entrou lá a perguntar:” Dónde está el portero? Dónde está el portero? Quando viu o Ivkovic disse-lhe: “ Portero, ganhaste os cem dólares e a camisola, mas eu ganhei a eliminatória.”

Maradona jamais será esquecido.

  Comentários