summary_large_image
A IMPORTÂNCIA DO MÊS DE FEVEREIRO
O Sporting CP tem de continuar a fazer o seu percurso. Humildes, com os pés bem assentes na terra, atentos a tudo o que se passa à nossa volta e com o balneário totalmente blindado a ameaças externas.
Imagem de destaque14 Fev 2021, 13:15

Este mês de fevereiro é de extrema importância para o Sporting CP. No final deste, teremos um jogo decisivo com o FC Porto, no Dragão, que poderá ditar muito daquilo que será o campeonato daqui para a frente. Até ver, a turma comandada por Rúben Amorim tem conseguido aumentar a sua vantagem pontual para os rivais diretos, colocando-se mais confortável na liderança do campeonato português.

O jogo em Barcelos foi tudo menos fácil. Foi uma vitória do querer, da raça e do respeito que estes jogadores têm pela camisola deste clube. A primeira parte foi, porventura, a pior desde que Rúben Amorim assumiu o comando da nossa equipa de Futebol Profissional. Não obstante, e consciente dos erros inicialmente cometidos, o jovem treinador mexeu na equipa de forma brilhante arrojada. Reformulou a defesa, instalou os seus pupilos no meio campo adversário e colocou Daniel Bragança que, na minha opinião, mexeu com o jogo. O jovem jogador da cantera leonina sabe ter a bola nos pés e foi capaz de criar movimentos de desequilíbrio a partir do centro do terreno, algo que ninguém logrou fazer nos primeiros 45 minutos. A grande nota de destaque vai, no entanto, para um Super Coates, que está a fazer a sua melhor época de leão ao peito. Foi crucial nesta partida e participou ativamente numa reviravolta épica, que deixou os adeptos sportinguistas ao rubro. Teste passado.

Faltam agora, em fevereiro, Paços de Ferreira, Portimonense e FC Porto. Se fecharmos o mês com uma vantagem pontual alargada e aproveitarmos o deslize de ontem do segundo classificado, começa a ser possível acreditar naquilo com que há tantos anos sonhamos: o título de campeão nacional.

É importante que estejamos preparados, contudo, para tudo o que continua a acontecer fora das quatro linhas:

  1. O ruído no “caso” Palhinha: Não passa de ruído, mas tem o claro objetivo de quebrar o espírito e a coesão existentes hoje no plantel leonino;
  2. As infundadas críticas do FC Porto à arbitragem: Nada de novo no Futebol Português, num discurso com elevada dose de cinismo. Um dos presidentes mais corruptos da história do Futebol tem coragem de criticar arbitragens e pedir seriedade àqueles que dirigem o desporto em Portugal. Inenarrável. Falamos da equipa que tem 11 penalties assinalados ao longo desta época e que, ontem, logra o seu primeiro tento na partida fruto de um castigo máximo muito duvidoso. No entanto, ninguém tem coragem para confrontar Sérgio Conceção com este tipo de questões. Ontem ninguém falou de um primeiro penalty literalmente “cavado” na área do Boavista e já não se quis saber de arbitragens ou da necessidade de encontrar justiça no Futebol Português.

O Sporting CP tem de continuar a fazer o seu percurso. Humildes, com os pés bem assentes na terra, atentos a tudo o que se passa à nossa volta e com o balneário totalmente blindado a ameaças externas. Só a vitória interessa até ao final de fevereiro, para que possamos sonhar!

  Comentários
Mais Opinião