summary_large_image
ALCOCHETE E SCOUTING
Não podemos voltar a brincar aos empresários e empréstimos à última hora para despachar jogadores que não contam para outros clubes. Isto obriga a ter coragem de apostar forte nos nossos jovens.
Imagem de destaque28 Abr 2020, 09:00

Após este período de confinamento, com as restrições sociais e económicas que teremos, o futebol não será, certamente, igual. A ideia de demorarmos a ter estádios cheios, as receitas a diminuírem brutalmente, fazem do próximo período de transferências uma fase de forte ajustamento.

Aqui entram dois vectores fundamentais para o Sporting. Alcochete e Scouting.

Não podemos inventar. Não vamos conseguir gastar milhões, que não temos. Não podemos falhar em contratações.

Fernando, Bolasie e Jesé, apesar de emprestados, foram erros brutais de gestão desportiva.

A época ainda não acabou, mas é evidente que este foi mais um ano perdido para o Sporting. Não foi ano zero. Foi ano -1. E com isto não podemos voltar a brincar aos empresários e empréstimos à última hora para despachar jogadores que não contam para outros clubes. Isto obriga a ter coragem de apostar forte nos nossos jovens, mas a ter olho num mercado global. Mais Slimanis, menos Jesés. Não podemos mesmo falhar.

E aqui, pelas informações que nos chegaram, a aposta numa equipa profissional de Scouting foi uma das bandeiras do Presidente. E é essa estrutura que deve entrar em acção tendo a humildade de reconhecer que falhou este ano.

Muito trabalho para fazer. E até em confinamento, com os meios tecnológicos de que dispomos dá perfeitamente para identificar possíveis reforços. Haja para isso visão e planeamento. Não esperem por 31 de Agosto.

  Comentários