summary_large_image
AS CARTAS DE KHRUSHCHEV
Uma  liderança leonina com mais de 4 anos de governação  não pode e não deve refugiar-se permanentemente no passado para justificar fracassos presentes!
27 Nov 2022, 23:07

No tempo da Guerra Fria contava-se uma curiosa história (inventada ou não!) que teria ocorrido na União Soviética por alturas da passagem de testemunho entre Nikita Khrushchev e Leonid Brejnev na condução dos destinos da URSS. Um tempo antes da sua sucessão Khrushchev teria chamado ao Kremlin Leonid Brejnev para falar com ele acerca das vicissitudes do cargo de líder máximo da URSS! Depois de terem conversado longamente acerca da responsabilidade inerente ao cargo, Khrushchev entregou a Brejnev duas cartas que ele só deveria abrir em caso de extrema dificuldade na condução dos destinos da União Soviética. Após início de mandato pacífico logo Brejnev se deparou com uma enorme crise da qual ele não tinha solução! A coisa era grave! Foi nessa altura que se lembrou das cartas de Khrushchev! Abriu a primeira que dizia Coloca toda a responsabilidade dos problemas do teu governo no teu antecessor! E com esse conselho Brejnev conseguiu resolver todas as dificuldades da sua governação! Maravilha! Tinha resolvido num ápice esse grave problema! Uns anos mais tarde nova crise ocorreu! Era extremamente grave e não conseguia ter solução para ela! Estava desesperado! Apenas lhe restava abrir a segunda das cartas de Khrushchev! Era a última mas não havia alternativa! Abriu então a segunda carta! E ela dizia somente o seguinte Escolham um sucessor!

Este episódio de cariz cómico ilustra algo que é muito vulgar em Portugal seja na política, na sociedade ou no desporto! A tendência de fugir às dificuldades momentâneas inerentes  aos cargos de liderança através de justificativas várias como “pesadas heranças” ou “desgoverno da liderança anterior”! E, no Sporting Clube de Portugal, Hoje e Sempre, esta situação (com honrosas excepções) têm sido prática corrente!

Uma  liderança leonina com mais de 4 anos de governação  não pode e não deve refugiar-se permanentemente no passado para justificar fracassos presentes! Deve ter um rumo estratégico firme na condução dos destinos do Sporting cumprindo o mandato para o qual foram eleitos e respeitando a entidade máxima do clube – os sócios do Sporting Clube de Portugal!

Olhando para a história recente do Sporting vemos que anteriores transições de lideranças leoninas ocorridas em períodos conturbados (Sousa Cintra em 1989 ou Bruno de Carvalho em 2013) foram feitas sem que as novas lideranças se tenham refugiado no passado para justificar os insucessos momentâneos! E essas lideranças conseguiram, após a fase inicial complicada dos seus mandatos, reforçar a matriz popular que fez do Sporting a maior potência desportiva nacional numa união verdadeiramente agregadora!

Após a conquista do 23° campeonato nacional de futebol (2020/2021) os actuais órgãos sociais leoninos tiveram uma oportunidade de ouro de unir verdadeiramente o clube rumo a um futuro desportivo repleto de sucessos! A continuação de um discurso justificativo baseado no passado para o momento desportivo presente sem que as bases estratégicas para um futuro desportivo vencedor sejam lançadas pode significar que, à imagem de Brejnev, a carta final possa estar cada vez mais perto de ser utilizada!

Jorge Gustavo Lopes – Sócio n.º 9115-0

  Comentários
Mais Opinião
Subscreva a newsletter Leonino
Email