summary_large_image
É URGENTE GARANTIR A MAIORIA DO CAPITAL DA SAD!
Este poderá ser o mais importante mandato da história do Sporting: um caminho sem retorno.
Imagem de destaque22 Fev 2022, 11:12

Caros Consócios,

A decisão de me candidatar a Presidente do Sporting Clube de Portugal não foi nem fácil, nem óbvia. Surgiu após um longo período de reflexão, sustentada em inúmeras conversas sobre a realidade do Clube, e como fruto da consciência de que o mandato dos próximos Órgãos Sociais poderá ser o mais importante da nossa história centenária, já que em causa está o controlo da SAD, a empresa que gere os destinos do futebol do Sporting.

Sabendo de antemão que, num momento de (infelizmente) raro sucesso desportivo, com a recente conquista do título da Liga Portuguesa de Futebol ainda bem fresca na memória de todos, a discussão de alternativas à actual Direcção seria, provavelmente, impopular em alguns círculos, entendi, ainda assim, que a necessidade de garantir que o Sporting recupera a maioria do capital da SAD é um imperativo moral enquanto sócio, accionista e, acima de tudo, apaixonado pelo Sporting Clube de Portugal.

É fundamental que todos entendam que, no presente, a manutenção do controlo da maioria da SAD já não está nas mãos dos sócios, para lá do horizonte destas eleições, uma vez que a conversão das VMOCs em 2026, mecanismo já aprovado em Assembleia Geral, representa a perda dessa mesma maioria, consequência que só poderá ser evitada pela recompra antecipada desses títulos.

Candidato-me, pois, por ter uma solução imediata que permita a única operação que poderá assegurar que o destino da SAD é devolvido, definitivamente, aos sócios do Sporting, e por não ver nenhuma solução equivalente que ultrapasse a mera intenção (como já sucedia no programa da actual Direcção, que apesar de se ter comprometido a efectuar a recompra no actual mandato, ainda não encontrou meios para o fazer).

Candidato-me, também, por entender que o mandato dos actuais Órgãos Sociais ficou aquém na execução de outra das suas promessas: a união do clube. Pelo contrário, multiplicam-se as divisões, calam-se opiniões, silenciam-se cânticos, rotulam-se aqueles que criticam ou discordam e recusa-se o acesso à informação a que sócios e accionistas têm legítimo direito.

Queremos um Um Futuro com Garra, um futuro só possível de alcançar com um Clube unido, com uma liderança capaz de promover o fim das divisões internas. O Sporting é um clube plural, onde todas as opiniões são legítimas, mas construído, ao longo de mais de 100 anos, sobre um princípio fundamental: aquilo que nos une é, e terá de ser, muito mais forte do que o que nos separa.

Queremos um Sporting transparente, com uma gestão sempre sujeita ao escrutínio e avaliação dos associados.

Queremos um Clube que saiba ouvir e comunicar com todos os seus sócios e adeptos, sem distinções, sem privilégios.

Queremos um Sporting onde os sócios e adeptos se sintam parte da família, um Sporting que promove aqueles que levam pessoas aos estádios e aos pavilhões, dando-os a conhecer ao mundo e, principalmente, aos Sportinguistas.

Queremos ser líderes num desporto transparente, que valoriza atletas e técnicos e recusa polémicas de bastidores, tácticas de intimidação e um clima de guerrilha que impede o crescimento desta indústria: apenas a credibilização do desporto e do futebol em particular pode acrescentar valor à actividade aos olhos de parceiros e patrocinadores.

O sucesso desportivo, no futebol e nas modalidades, deixa-nos felizes e entusiasmados, mas queremos mais. Sabemos que, para que esse sucesso aconteça de forma sustentada, precisamos de um Clube capaz de crescer, de aplicar métodos de gestão desportiva profissional e de deixar vincada a sua identidade em todos as vertentes da sua actividade.

Queremos um Sporting capaz de gerir o futebol com independência de agentes externos, apoiado nos métodos de recrutamento e relação com o mercado utilizados pelos melhores clubes do Mundo, um Sporting cada vez maior, que saiba aliar a eficiência da gestão ao aproveitamento da formação.

Queremos construir uma Cidade Desportiva que se torne numa referência internacional: a casa de todos os atletas do Sporting, que seja o berço da Cultura e da Identidade que deve ser comum a todos os que vestem a camisola verde e branca e competem de leão ao peito.

Queremos um Sporting onde todos os patamares da formação obedeçam a uma filosofia comum, onde são privilegiados os valores do Clube, a Cultura de ser Sporting, mas também à clara definição de um modelo de atleta: fundamentos técnicos sólidos, desenvolvimento físico compatível com as etapas de crescimento em atletas de elite e fundamentos tácticos que possibilitem a inclusão em qualquer sistema passível de ser adoptado por equipas dominadoras.

Sou um gestor ponderado, mas ambicioso; um homem sensato, mas determinado e um Sportinguista pragmático, mas apaixonado.

Tenho na lealdade e no valor da minha palavra os meus valores mais sagrados. Acredito na minha capacidade para concretizar o meu sonho para o Clube: sei qual é o caminho e não vou deixar ninguém para trás.

O meu nome é Ricardo Oliveira, e sou candidato à Presidência do Sporting Clube de Portugal.

Lista B, Conselho Diretivo: Candidato a Presidente 

  Comentários
Mais Opinião