summary_large_image
ESTE NÃO É DOS QUE FOGEM QUANDO NÃO SÃO TITULARES
E como já esta semana alguém disse… Jovane, o teu tempo está a chegar.
Imagem de destaque22 Fev 2020, 08:00

Jovane Cabral é mais um talento nato da Academia de Alcochete, e é dos jovens jogadores do atual plantel do Sporting, que com o a sua entrega e com o seu futebol, talvez o que mais entusiasma os sportinguistas.

Fez a sua estreia pela equipa principal do Sporting em 2017, num jogo para a Taça de Portugal contra o Oleiros, tendo subido pela mão de Jorge Jesus ao plantel principal na época seguinte. Logo nessa época marcou alguns golos decisivos, e demonstrou que podia ser mais um grande ativo Sporting Clube de Portugal saído de Alcochete.

É tido por todos como um grande profissional e com uma grande entrega nos treinos, e com uma preocupação constante de se aperfeiçoar como jogador, quer fisicamente quer taticamente. Faz isso recorrendo a treino personalizado extra clube, aliás, como se exige hoje a qualquer jogador moderno que se queira manter na ribalta do futebol.

Relembro que José Peseiro, aquando das críticas a Matheus Pereira, referiu Jovane Cabral como um exemplo a seguir por todos, pois quando não era titular, ainda treinava mais e com mais vontade de voltar a ser titular: “É este caráter que queremos no Sporting. Este não é dos que fogem quando não são titulares”

Quando todos pensávamos que a época de 2018/19 iria ser a primeira grande época de Jovane Cabral de leão ao peito, Varandas conseguiu surpreender tudo e todos com a contratação de Marcel Keizer para o Sporting, um treinador com mais de 50 anos e que nunca tinha ganhado nenhum título na sua carreira (ato de gestão que se percebeu claramente que foi uma pura invenção), mas que vinha da Escola do Ajax e que iria apostar num futebol ofensivo e principalmente lançar muitos jovens da Academia (quantos?). Infelizmente, Jovane nunca foi uma aposta clara de Keizer, e todos sabemos que no final da temporada passada, comunicou à estrutura administrativa do Sporting que não contava com o jogador para a presente época.

Felizmente, Jovane fez por não sair do Sporting, senão hoje seria mais um jogador emprestado com uma cláusula baixa, que rapidamente seria batida por um qualquer clube que depois o revenderia por muito mais dinheiro. A época começou com algumas lesões e com um episódio triste e infeliz: Jovane foi apanhado a conduzir com documentos adulterados.

É triste, porque o jogador não deu o exemplo que um profissional de futebol deve dar. E é infeliz, porque o Sporting e principalmente Varandas não souberam proteger o jogador. Que estrutura profissional é a do Sporting que não acompanha a anteriori este tipo de assuntos? Já se tinha passado o mesmo com Wendel.

Varandas veio dizer: “Não somos a DGV”. Pergunto, isto é defender o jogador? Isto é defender um ativo do Sporting? Isto é defender o Sporting?

Isto foi quase de certeza um reflexo cognitivo de Varandas, pois ele sabe que DGV é aquilo que os nossos rivais mais falam e desejam… (D)eixem (G)overnar o (V)arandas.

Ao dia de hoje, ultrapassada a lesão e aqueles que não o queriam no seu clube, não duvido que, caso não tenha mais problemas de saúde, Jovane com o seu enorme talento, se vai assumir como titular indiscutível do Sporting, e vai ser um jogador de topo de leão ao peito.

E como já esta semana alguém disse… Jovane, o teu tempo está a chegar.

Viva o Sporting Clube de Portugal!

  Comentários