summary_large_image
GIRL POWER – SPORTING NO FEMININO
Mas o que ainda vemos no nosso Clube é que as nossas jogadoras são relegadas para segundo plano e que a equipa não joga no Estádio José Alvalade.
Imagem de destaque28 Nov 2020, 10:53

Em duas semanas seguidas assistimos a duas vitórias muito importantes contra o eterno rival. Primeiro foi no Futebol, a seguir no Hóquei em Patins, esta com a particularidade de interromper a hegemonia de 7 anos sem derrotas das rivais. Ambas no Feminino. Ambas fora de casa. Ambas as equipas lideram a tabela classificativa.

Dentro de campo ou nas bancadas ,  um fenómeno incontornável, há um crescimento do número de mulheres e jovens mulheres que frequentam os jogos nas bancadas e que praticam desporto. Ainda na primeira metade deste século iremos assistir a uma verdadeira revolução no desporto com a preponderância que o desporto feminino promete ter. Embora esta revolução vá ser apenas um espelho do que está a acontecer na sociedade.

Números recentes apontam para um crescimento na ordem dos 20%/ano no público que assiste Futebol Feminino, sendo uma modalidade com um dos maiores crescimentos Mundiais, antevendo-se que rapidamente se irá tornar num dos desportos que suscitará mais interesse e movimentará mais pessoas. Basta ver o impacto que o último Mundial Feminino teve ao nível de audiências. Basta ver que por exemplo um jogo em Inglaterra já esgotou Wembley. Basta ver que um jogo Sporting – Benfica no Restelo com uma boa promoção praticamente esgotou.

Mas o que ainda vemos no nosso Clube é que as nossas jogadoras são relegadas para segundo plano e que a equipa não joga no Estádio José Alvalade e, consequentemente, longe dos seus Sócios e Adeptos – obviamente me refiro à situação pré-pandemia, em normalidade dos adeptos poderem assistir aos jogos. Quem teve oportunidade de ir ver o jogo no Estádio contra a equipa do Braga, sabe que foi um belo espetáculo dentro e fora do relvado, com um ambiente nas bancadas que é necessário repetir. Muitas vezes.

Os Clubes que melhor entenderem esta mudança na sociedade, que veio para ficar, pois as mulheres são cada vez mais instruídas e já dominam nas universidades por larga maioria, são as mulheres que tomam a maioria das decisões económicas de consumo a nível mundial, e são as mulheres que arrastam consigo a família para os jogos, serão os Clubes que mais crescerão no futuro próximo.

Por isso é fundamental reajustar a comunicação feita das equipas femininas do Clube, e das atletas dos desportos individuais. Raras são as vezes em que uma conquista das equipas femininas é partilhada com o mesmo destaque de uma vitória no masculino, ou ainda que as atletas femininas são utilizadas nos momentos mais institucionais como representativos do Clube.

Quando questionadas sobre o que poderia levá-las a frequentar os estádios e a acompanhar mais as suas equipas, as mulheres inquiridas responderam (1) que a diminuição do valor dos bilhetes, a redução dos custos com deslocações e, os horários dos jogos poderiam sem dúvida aumentar a sua frequência nos estádios. Estas são exatamente as mesmas preocupações que os homens apresentam quando confrontados com a mesma questão, o que nos mostra que as preocupações são independentes do género, mas ainda é necessário esbater falsos estereótipos e mostrar que são bem-vindas ao Estádio ou ao Pavilhão, e isso ainda não é feito no nosso Clube.

1 – Fans for Diversity- Women at the Match (Football Supporters Federation, 2015)

  Comentários
Mais Opinião