summary_large_image
NO FINAL DAS CONTAS, UM FIM-DE-SEMANA DE SORTE
Se a equipa quiser adicionar uma pitada extra de ambição à abordagem que fará ao jogo contra este rival (Benfica), que não se esqueça das palavras de Jorge Jesus no final da partida de sexta-feira.
17 Jan 2021, 12:00

O Sporting CP enfrentou duas semanas particularmente complicadas. Desde um verdadeiro carnaval relativamente ao jogo com o Nacional, do qual falei na semana passada, a um desaire, um empate indesejado e ao anunciar de uma série de despedimentos na estrutura do Sporting, deu para tudo.

Falando, aliás, sobre o último tópico, permitam-me referir que é com muita tristeza que vejo algumas opções que são tomadas, num clube que se quer forte, pujante e desenvolvido. Muito pouco se fala, por exemplo, da questão do Marketing no Sporting. Contudo, se recuarmos no tempo, há dez anos, o Marketing e Comunicação do nosso clube eram manifestamente pobres. Desde os tempos de Bruno de Carvalho que foi notório um desenvolvimento positivo que, na minha opinião, atingiu o seu expoente máximo no mandato de Frederico Varandas. Esta área estava, sem qualquer dúvida, a ser muito bem trabalhada e é essencial para motivar a equipa, os adeptos e defender o clube fora do terreno de jogo. A importância deste departamento pode ser facilmente demonstrada pela facilidade com que o Benfica, por exemplo, montou campanhas de Marketing há alguns anos, lançando ataques frontais aos seus principais adversários. Como? Relembremo-nos do caso “Colinho” em que o rival da 2ª circular, para abafar (mais um) escândalo de corrupção, montou uma campanha de Marketing viral, retirou pressão mediática ao escândalo e gozou com os seus rivais diretos. É em situações destas que um clube como o Sporting precisa de um Marketing forte, para contra-atacar e apontar aquilo que de errado se passa no Desporto em Portugal. Atenção, Sporting!

Quanto ao fim-de-semana de sorte, mencionado no título desta crónica, pois bem, parece que nem tudo correu assim tão mal na vida do Sporting CP. Não por mérito próprio, mas sim graças aos nossos rivais diretos. A equipa de Futebol Profissional, liderada por Rúben Amorim, escorregou frente ao Rio Ave, num fim-de-semana em que poderia alargar vantagem para os rivais Benfica e Porto, que se defrontavam mais tarde. Oportunidades destas não podem, nem devem, ser desperdiçadas. No entanto, não éramos os melhores e não somos os piores depois deste resultado. Acredito piamente que, nos próximos jogos, o Sporting vai dar uma resposta clara e irá fazer de tudo para, no campeonato, segurar uma preciosa vantagem de 4 pontos. Agora, fica muito claro que a nossa equipa foi agraciada com alguma sorte, fruto com o resultado do Clássico. Conseguimos manter a nossa distância pontual, o que nos permite gerir os próximos jogos com algum conforto, sabendo que falta jogar dia 31/01 com o Benfica. E, mais do que nunca, tem de ser para ganhar. Se a equipa quiser adicionar uma pitada extra de ambição à abordagem que fará ao jogo contra este rival, que não se esqueça das palavras de Jorge Jesus no final da partida de sexta-feira. Continua com a mesma postura prepotente e arrogante que o fizeram perder um campeonato no Sporting. Que saibamos capitalizar o desdém com que Jorge Jesus falou do nosso Clube e mostremos a todos o porquê de sermos o líder do campeonato. Este conjunto leonino já provou,várias vezes, a fibra de que é feita. Todos sabemos que não vamos a jogo para ser apenas campeões da primeira volta. Queremos mais.

  Comentários
Mais Opinião