summary_large_image
SAUDADES
E nós, sportinguistas, devemos ajudar dentro do possível. O tempo a seguir não será de facções. Será também de salvação leonina. O futuro é incerto. Se é.
31 Mar 2020, 09:00

No meio do turbilhão que vivemos as saudades apertam. Saudades do nosso Estádio. Saudades do Mundo Sabe Que. Saudades de vibrar, mesmo com a instabilidade conhecida do nosso clube, com possíveis reforços. Saudades de sofrer, e se nós sofremos. Saudades das discussões entre amigos de vários clubes. Saudades de ver a bola a rolar naquele tapete verde.

É quase piada dizer que Rúben Amorim já leva um mês vitorioso no Sporting. Mas que nos faz falta ver o nosso clube, lá isso faz. É intrínseco. Faz parte de nós.

Mas o que virá aí? De Inglaterra já se fala em acabar a Premier League com uma quarentena geral. Será que um jogo de futebol merece um estádio vazio, mas as TV’s a mandar? É essa a nossa essência? Bem sei que os compromissos financeiros são elevados, mas que raio, ver um jogo de futebol em que até ouvimos os jogadores a gritarem, perde todo o encanto.

E o que dizer do exemplo de Cristiano Ronaldo? Claro que se vai criticar a dizer que não precisa, mas abdicar assim de um salário é ver mais além. É perceber que o show deve continuar lá à frente.

Agora, agora é tudo indefinição. Agora é saudades. Muitas. É pensar que o nosso Sporting deve fazer tudo para resistir a este vendaval. E nós, sportinguistas, devemos ajudar dentro do possível. O tempo a seguir não será de facções. Será também de salvação leonina. O futuro é incerto. Se é.

  Comentários