summary_large_image
UM MUNDO NOVO COM LIÇÕES ANTIGAS…
O que salvou o Sporting neste processo foi uma troca de mensagens entre o jogador e Bruno de Carvalho em que o primeiro evidenciou não ter ficado afectado pelo que sucedeu em Alcochete.
23 Mar 2020, 09:00

Passou menos de uma semana desde que a nossa vida mudou de uma forma drástica. Da vertigem de constantes solicitações ao confinamento nas nossas casas, haverá todo o caminho que teremos que fazer antes de podermos voltar, com tranquilidade, às ruas e ao convívio social nos moldes em que nos habituámos.  Às vezes, a felicidade faz-se de coisas simples e nada como estarmos temporariamente desprovidos delas para que aprendamos a dar-lhes valor.

Entretanto, enquanto não se controla esta pandemia, quase todos nós, pelo menos os que estão a encarar isto com a seriedade que merece, estamos confrontados com novos desafios, entre os quais avulta aprendermos a viver com um certo distanciamento físico e quase que reduzidos aos contactos virtuais. Ironicamente, no exacto momento em que estamos dependentes dos meios digitais, talvez seja este o momento para se repensarem os valores básicos, já que o exemplo italiano e as suas consequências não nos têm impedido de repetir os mesmos erros. Nos últimos dias tem sido notícia a inconsciência de uns tantos que podem matar muitos mais e cujo impacto na proliferação da dita pandemia e, em consequência, na economia não pode ser desconsiderado.

Deixo, aqui, um primeiro apelo: cumpram as regras do designado isolamento social. Se não por respeito a vocês mesmos, pelo menos por respeito aos demais, em especial os que têm arriscado a vida para minizar as perdas.

Acresce que, como facilmente se depreende, o que se seguirá é uma inevitável crise, para a qual teremos que estar preparados. Neste momento de incertezas, há uma certeza com a qual podemos contar: se o nosso Clube estava vulnerável até agora, não ficará melhor depois. E é essa certeza que nos deve fazer unir no estrito propósito do que sejam os melhores interesses do Sporting Clube de Portugal.

Vem isto, também, a propósito da sentença do processo de Rafael Leão. Independentemente dos vários rumores que circulam a propósito do processo de rescisão deste jogador, aquilo sobre o que podemos e devemos reflectir são os factos. Tenho lido os mais variados comentários sobre a dita decisão sem que encontre grande correspondência com o que consta nela. É, aliás, um velho hábito português  – e que se manifesta com particular acuidade no Sporting Clube de Portugal – sendo as redes sociais um depósito de teorias, sem qualquer apego à realidade.

Ora, tendo o processo tido um desfecho feliz, já previamente anunciado e comentado aqui no Leonino (LER AQUI), importa que se assinale o que não tem sido dito. E o que não tem sido dito é que o tribunal julgou verificados incumprimentos que reputou de graves. O que salvou o Sporting neste processo foi uma troca de mensagens entre o jogador e Bruno de Carvalho, invocada pelo próprio Clube, presumo que já presidido por Varandas, em que o primeiro evidenciou não ter ficado afectado pelo que sucedeu em Alcochete, e o facto de ter tirado férias entretanto, mantendo o vínculo ao clube.

Estes dois factos, associados ao facto de se tratar de uma relação contratual especial, permitiram ao Tribunal concluir que inexistia o que chamamos impossibilidade de manutenção da relação contratual e foi, apenas, por tal que Rafael Leão foi condenado.  Se por ventura a dita troca de mensagens não tivesse ocorrido ou se Rafael tivesse resolvido o contrato no imediato, muito provavelmente o juízo seria outro.

Daqui o que temos forçosamente que concluir é que o que se passou não se pode voltar a repetir porque há lições que não podem deixar de ser aprendidas. Principalmente quando temos (e vamos a) tempo.

A autora escreve de acordo com a antiga ortografia.

  Comentários
Mais Opinião
Rita Garcia Pereira
PRESO POR TER CÃO E PRESO POR NÃO TER
Afinal, com tantos regulamentos, parece que a Liga se esqueceu de um dos mais evidentes.
Rita Garcia Pereira
NÃO HÁ COINCIDÊNCIAS
Do outro lado da barricada, ao que se sabe, assim que alguém se apresenta a julgar seja o que for, é logo brindado com convites.
Rita Garcia Pereira
A BRUNO O QUE É DE BRUNO E ÀS CLAQUES O QUE É DAS CLAQUES
Um novo ciclo, onde as claques sejam todas construtivas, é urgente porque a festa também há muito que se faz com elas.
Rita Garcia Pereira
QUO VADIS?
O Sporting é grande demais para tantos erros, inclusive de casting, para tanta inércia, para tanta arrogância.
Rita Garcia Pereira
CLUBE DE COMBATE
Ganhar ao Portimonense em casa, com um autogolo, não parece uma proeza que consiga fazer esquecer tudo o resto.
Rita Garcia Pereira
QUANDO OS BONS EXEMPLOS VÊM DO SPORTING… (E OS MAUS DE TODO O LADO)
Parece-me inquestionável que o Sporting tem, genericamente, má imprensa, mesmo no grupo que parece ser, nos dias que correm, o órgão de comunicação oficial do Clube.
Rita Garcia Pereira
PLATA QUE PODE SER OURO
Depois de ontem e no caso do Sporting, está demonstrado que Plata da casa pode ser transformada em ouro. Às vezes, basta acreditar no nosso potencial.
Rita Garcia Pereira
NÃO HÁ ALMOÇOS GRÁTIS…
Foi posto a correr o boato, de que eu ou o meu escritório teríamos qualquer coisa a ver com as cartas de resolução. É completamente falso e não é por ser repetido mil vezes que se torna verdade.