summary_large_image
VARANDAS E VIANA, OS ADEPTOS DO MILLWALL
Ora, recomendo vivamente a Varandas e Viana que larguem o Sporting CP e vão para Londres, para o Milwall e levem no pacote o Rogério Paulo Alves e assim, suspeito, ficarão todos felizes e contentes.
31 Jul 2020, 09:00

Na quarta-feira dia 29 de Julho, o Mister do Café (https://misterdocafe.blogspot.com/) publicou mais um dos seus brilhante artigos sendo que, desta vez, desmonta totalmente a existência da entrevista a Varandas impressa na véspera no órgão de comunicação oficial do Clube – o Jornal  Record. A crer no Mister do Café chegamos à conclusão de que afinal Varandas não veio “dar a cara” nem “prestar contas” pela pior época da história do Sporting CP, mas teve alguém a responder por ele, o que além de cobarde faz-nos compreender finalmente o que ele no passado quis dizer com “estrutura invisível”. Ou seja, Varandas aparentemente escondeu-se que nem um percevejo.  Mas vamos fingir que acreditamos que a dita entrevista ocorreu e cuja parangona subentendida é: “Assumo a minha total irresponsabilidade”.

A pergunta que me fiz foi se Rogério Paulo Alves tem a noção do que se passa e é cúmplice dos manos Varandas ou é uma espécie de marido enganado que anda apenas a apanhar bonés?

Será que Rogério sabe que na próxima época o segundo lugar dá acesso directo à Champions League ou que o terceiro lugar dá acesso às eliminatórias de apuramento e que com esta administração da SAD – da qual convém não esquecer João Sampaio que anda escondido sem pudor atrás de um vencimento -e com esta estrutura e equipa não iremos sequer às competições europeias? E que isso é trágico para a sustentabilidade financeira do Sporting CP e para o seu prestígio?

Será que Rogério sabe que esta administração da SAD a única obra, da sua lavra, que fez na Academia foi tirar espaço da sala de convívio dos jogadores da formação para fazer mais gabinetes para os caríssimos e inúteis recursos humanos com que Varandas anda a desperdiçar dinheiro?

Será que Rogério sabe que, depois de todo o histerismo de Varandas com os colchões, afinal está tudo na mesma?

Será que Rogério sabe que há uma geração fantástica de jogadores da formação que foram campeões nacionais em vários escalões, em paralelo com os Florentinos e os Ferros do SL Benfica e que estão hoje numa segunda linha porque assinaram contratos de profissionais com a anterior direcção? E também sabe que, apesar da maioria destes miúdos que agora chega à equipa principal ter sido recrutada pela anterior administração, estes estão a passar à frente apenas por terem assinado contratos de profissionais com Varandas?

Será que Rogério sabe – e é cúmplice – das pressões que os Núcleos têm sofrido para não se pronunciarem acerca do caos que se vive no Clube? Como é que querem que os Núcleos estejam calados e mantenham as portas abertas e o seu regular funcionamento quando estão completamente abandonados por este Conselho Directivo? Como é que se pagam as contas sem receitas e com a gestão desportiva ruinosa que afasta dos Núcleos os seus sócios e adeptos? No último ano da nossa gestão dos Núcleos o Sporting CP facturou directamente através do departamento de expansão mais de meio milhão de euros em bilhética, fora outras receitas através do sítio da internet. Será que, neste momento absolutamente excepcional e no sentido de promover a sobrevivência dos mesmos, o Sporting CP não pode dar um apoio financeiro de € 500 a € 1.000 por Núcleo homologado? Quando se esbanjam dezenas de milhões em contratações, demissões de treinadores e comissões, não se tem moral para negar ajuda aos nossos dirigentes dos Núcleos que todos os dias erguem com resiliência a nossa bandeira.

Ainda quanto à entrevista de Varandas – que demonstra à evidência que está irresponsável e perigosamente agarrado ao lugar e apesar de todo o País saber da sua escancarada incapacidade – este insiste no voto pela internet. E acrescenta que não quer segundas voltas. Varandas nisso tem a noção do seu lugar, ou alguém por ele. Sabe que NUNCA, mas NUNCA, os sócios estarão com ele e muito menos lhe darão a maioria absoluta. A expectativa que este tem é de existirem muitos candidatos e no barulho das luzes, através de um sistema eleitoral que só ele controla, poder manter-se. É o que eu acho e depreendi da “entrevista” que nos deram para ler.

É hoje praticamente unânime, se excluirmos os perfis falsos, criados por uma empresa de vão-de-escada que trabalha para a administração da SAD e o ansioso benfiquista Rui Pedro Brás, que ninguém gosta de Varandas. Os topos não gostam do Varandas, as centrais não querem o ex-presidente, mas não gostam do Varandas, os Núcleos não gostam do Varandas, as Modalidades (treinadores, atletas, staff)  não gostam do Varandas, as claques não gostam do Varandas, os funcionários não gostam do Varandas, os Órgãos Sociais, incluindo o próprio Varandas, duvido que gostem do Varandas, a imprensa apesar de o tolerar, não gosta do Varandas, os agentes desportivos de todos os sectores riem-se dele e não gostam do Varandas. No fundo não há ninguém que conte e que goste do Varandas. Mas ele não quer saber. Está-se nas tintas para a opinião dos outros e já se habituou a que não gostem dele. O mesmo se passa com Hugo Viana. Não conheço nenhum agente desportivo que tenha uma boa opinião profissional sobre ele.

Tudo isto é tão inusitado que me lembrei de um clube ajustado aos perfis desajeitados e menores de Varandas e Viana. Ora no sudeste de Londres há um clube histórico, mas que não ganha nem nunca ganhou nada e o máximo que chegou foi à segunda divisão. É, no entanto, famoso pelos seus adeptos e pelos distúrbios que provocam. São absolutamente desprezados pelos outros clubes da cidade, mas fazem gala e têm orgulho nisso. É o Millwall. O seu símbolo é um leão e curiosamente equipam Macron. O seu cântico tem a seguinte tradução – “Ninguém gosta de nós, ninguém gosta de nós, ninguém gosta de nós, mas não queremos saber!”

No one likes us, no one likes us
No one likes us, we don’t care!

We are Millwall, super Millwall
We are Millwall from The Den!

Ora, recomendo vivamente a Varandas e Viana que larguem o Sporting CP e vão para Londres, para o Milwall e levem no pacote o Rogério Paulo Alves e assim, suspeito, ficarão todos felizes e contentes.

Nota final: A direcção de informação da SIC e ao que parece, também a da TVI decidiram terminar e muito bem com os programas de comentário desportivo. Compreendo perfeitamente as razões. Os programas deste tipo devem ter sumo, ter notícia e trazer algo aos telespectadores. Durante muitos anos os programas tinham audiências porque José Guilherme Aguiar, Fernando Seara e Dias Ferreira e, mais tarde, Paulo Andrade, que eram homens que tinham vivenciado o dirigismo e nos traziam informação útil e com conhecimento de causa. Quer se goste ou não destas personagens aportavam para o programa experiência do meio futebolístico apesar de, com os anos se terem desactualizado, como é normal. No caso da SIC tentou “refrescar” o painel, mas ao fim de um ano constatou que tinha cometido um erro de casting. Podem arranjar as desculpas que quiserem, mas como é óbvio os telespectadores não estão dispostos a ouvir um debitar de banalidades e generalidades de quem não sabe, não percebe nem entende. Para isso vamos até ao café do bairro. O programa era fraquito, as audiências baixas e as picardias que surgiam num contexto que roçava a tasca, mas ditas em tom ridiculamente doutoral, não faziam sentido. Não acredito que tenham existido pressões das direcções de comunicação dos Clubes para terminar com os programas até porque são mais ou menos conhecidos os seus alinhamentos com os comentadores. O programa não interessava, era maçador e, como não tinha audiências, finalmente acabou. Ricardo Costa bem!

Viva o Sporting!

#ACORDA SPORTING

  Comentários
Mais Opinião