summary_large_image
VERDE E BRANCO EM TODA A PARTE
Lá ficarão de novo “surpreendidos” pela base de apoio popular do nosso Clube, por muito que custe a alguns.
08 Mai 2021, 10:13

Ao dia de hoje, parece claro que só um terramoto poderá fazer com que não sejamos campeões nacionais de futebol sénior masculino.

Depois de uns pequenos percalços, a equipa chegava ao jogo contra o SC Braga naquele que parecia ser o jogo do “vai ou racha”. À saída do hotel para o estádio, houve aquela que foi a primeira grande demonstração de apoio por parte dos adeptos do Norte do País, mostrando que aquele era “o” momento. Um apoio brutal. Mal sabíamos o épico que ia ser dentro de campo, transformando uma situação desfavorável numa vitória que nos empurrou, espera-se que definitivamente, para o primeiro lugar.

A partir desse momento e em crescendo, a cada jogo a força da presença dos nossos adeptos fez-se sentir e ficámos a saber, através de um pequeno vídeo que saiu do interior do autocarro da equipa, o quanto os jogadores sentem e apreciam estas demonstrações de apoio. Mas isto não é nada comparado com o que aí vem.

Muitos não estarão lembrados do que foi e do que representou a nossa vitória, em 99/2000, pois ou eram muito novos ou, pelo passar do tempo, já não terão bem presentes as imagens de uma época em que não existia o eternizar nas redes sociais, mas garanto-vos que foi um mar verde que atingiu e tingiu as ruas de todas as cidades com as nossas cores.

À época, muitos foram os que ficaram surpreendidos pela quantidade de adeptos e pela força popular do nosso Clube. Uns, surpreendidos pelo contrariar da tóxica e falsa narrativa dos 6 milhões; outros, surpreendidos pelo contrariar da tóxica e falsa narrativa de que o Sporting é um Clube das elites.

Passados estes anos todos estas narrativas mantêm-se e, portanto, lá ficarão de novo “surpreendidos” pela base de apoio popular do nosso Clube, por muito que custe a alguns.

Ao que parece, também existe muito “boa gente” a quem está a custar a dar o mérito aos nossos jogadores, sendo mais fácil alimentar a ideia segundo a qual “esta performance só é possível pela ausência de público”. Ora isto não só é totalmente desrespeitoso para com os nossos atletas, como quer fazer deles uns “fraquinhos da cabeça” que, de outro modo, jamais aguentariam a pressão, a contrário dos “valentões” jogadores das outras equipas que, com o público, jogariam a triplicar.

Esta narrativa de alguns “cartilheiros” dá jeito dois tipos de pessoas: a quem tem interesse na divisão constante entre adeptos do Sporting, e também a quem não quer ver o Sporting dos Sócios, mas sim o Sporting dos clientes. Querem colocar nas nossas mentes que seria tudo melhor sem Adeptos, mas a verdade é que sem Adeptos não haveria razão para o Sporting existir. Seria uma espécie de S SAD

Sei que faltam 3 jogos, mas não nos façam esperar muito, pois há um Tsunami Verde e Branco para libertar, principalmente por todos aqueles que, pela sua juventude, ainda não tiveram a oportunidade de festejar e que merecem fazê-lo gritando bem alto, “Somos Campeões!”.

  Comentários
Mais Opinião