QUANDO O GRANDE AMOR FAZ ANOS
São nomes atrás de nomes, campeões atrás de campeões, recordes atrás de recordes. É de glória que se faz um Clube. Não só de Glória, mas sobretudo de Glória
João Duarte
Texto
1 de Julho 2020, 09:57
summary_large_image

Faz tempo que o Sporting nasceu um dia, sob o signo do Leão, e sobre uns alicerces bem sólidos de princípios e valores. São 114 anos que se completam ao dia 1 de julho de 2020, de uma história recheada de glória, sequente a todo o esforço, dedicação e devoção de atletas e adeptos. Uns lá em baixo, nos palcos, ou lá em cima, no alto das montanhas e nos pódios, e nós na bancada ou no sofá, a cores onde antes era a preto e branco, a puxar, vibrar e sofrer com os heróis, os nossos super-heróis.

Venham-nos dizer que Carlos Lopes não supera os poderes do Super-Homem, ou que Obikwelu não é mais rápido que o Flash. Quantos de nós, quantos de vós, ainda se lembram dos cinco violinos, de Joaquim Agostinho, de Mamede, o recordista do Mundo da dupla légua? E de Livramento, Xana e Ramalhete? Haverá equipa mais virtuosa na história do hóquei? Bota de ouro Yazalde, ainda faz tocar os sinos? E a tripleta Manuel Fernandes-Jordão-Oliveira? Inolvidável, o Victor Damas. Na senda de mais glória: Armando Marques na bala de prata em Montreal 76, Gémeos Castro, Fernando Fernandes. Na bola, cito um quarteto fantástico que nem jogou junto: Balakov, Figo, Ronaldo e Pedro Barbosa.

São nomes atrás de nomes, campeões atrás de campeões, recordes atrás de recordes. É de glória que se faz um Clube. Não só de Glória, mas sobretudo de Glória. Os fundadores quiseram um Clube tão grande como os maiores da Europa. É esse legado que temos de respeitar, para nosso próprio bem, e para bem do Sporting Clube de Portugal. Há a exigência primeira de se lutar sempre por essa dimensão tão grande.

Parabéns Grande Amor! O dia é teu, a Glória é e será nossa!

  Comentários