EX-PRESIDENTE DO SPORTING CONFESSA QUE VAI CHORAR SE CRISTIANO RONALDO REGRESSAR A ALVALADE
Antigo líder máximo dos verdes e brancos acredita na chegada do internacional português ao Clube leonino
Diogo Nóbrega
Texto
23 de Novembro 2022, 22:31
summary_large_image

Pedro Santana Lopes, antigo presidente do Sporting, abordou uma eventual chegada de Cristiano Ronaldo a Alvalade. Esta quarta-feira, dia 23 de novembro, no programa ‘Não Alinhados’, da TSF, o ex-dirigente leonino admitiu que, se acontecer, será um de muitos que chorará com com o regresso do internacional português.

 

“Desata tudo a chorar se o virem entrar com a camisola do Sporting”

“Se Ronaldo voltar ao Sporting, acho que os Sportinguistas como eu vão todos para o estádio e emocionam-se muito se o virem entrar. Desata tudo a chorar se o virem entrar com a camisola do Sporting”, confessou, ainda que defenda o regresso sob uma condição.

“Só se Rúben Amorim estiver de acordo”

“Só se Rúben Amorim estiver de acordo. A estabilidade do treinador também deve ser defendida”, apontou Pedro Santana Lopes, analisando a rescisão de CR7 com o Manchester United.

“Achava que o Manchester United ia ser mais duro”

“Achava que o Manchester United ia ser mais duro”. Ainda assim, o atual Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz escolhe acreditar “na boa versão, a de que terá sido o reconhecimento dos serviços que Ronaldo, apesar de tudo, prestou ao Manchester United. Apesar de também dever ao Manchester United uma parte da projeção que tem”, reiterou.

Para já, Cristiano Ronaldo tem um Mundial para jogar e Santana Lopes não abdica de recomendar à equipa que “se ponha fina”, porque além das “surpresas todas” que já se registaram, o torneio acontece “fora de época, fora de tempo, fora de calendário e numa zona do globo em que nunca houve nenhum”, terminou.

Pedro Santana Lopes foi Presidente do Sporting, sucedendo a José de Sousa Cintra, num cargo que desempenhou durante um ano, entre 3 de junho de 1995 e 10 de abril de 1996.

Em março de 2011, candidatou-se à Presidência da Mesa da Assembleia Geral, integrando as listas de Pedro Baltazar, tendo obtido apenas 9,81% dos votos dos sócios leoninos nesse concorrido ato eleitoral.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS:

  Comentários