BOSKO BJELANOVIC: "FORAM ANOS MUITO ESPECIAIS PARA MIM"
Em entrevista exclusiva ao Leonino, o antigo capitão do andebol do Sporting CP recorda as oito temporadas de leão ao peito e mostra-se confiante quanto ao futuro da modalidade no Clube
Duarte Pereira da Silva
Texto
20 de Outubro 2020, 13:30
summary_large_image

Bosko Bjelanovic representou o Sporting CP durante oito temporadas, envergou o leão rampante em mais de 300 ocasiões e também marcou mais de 300 golos. Pelos leões, conquistou duas Taças Challenge (2009/10 e 2016/17) e dois Campeonatos Nacionais (2016/17 e 2017/18).

Em entrevista exclusiva ao Leonino, o antigo capitão do andebol do Sporting CP recorda com um carinho especial a conquista da primeira Taça Challenge, em 2010, e o triunfo no Campeonato Nacional, em 2016/17, diante do SL Benfica, em Odivelas. Atualmente na Alemanha, ao serviço do HTV Hemer, Bosko não coloca de parte um eventual regresso aos leões, mas, para já, é algo que não está nos seus planos.

Leonino (L): Estiveste oito anos no Sporting CP. Qual o balanço que fazes do período em que envergaste o leão rampante?

Bosko Bjelanovic (BB): Foram anos muito especiais para mim, onde conquistei os troféus mais importante da minha carreira. Fiz muitos amigos e senti-me sempre em casa. Tenho muito boas memórias do período em que estive no Sporting CP.

L: Quais as conquistas que te marcaram mais?

BB: De longe (risos), a primeira Taça Challenge, em 2010, em Almada. É um momento que ficará para sempre no meu coração. O pavilhão estava ao rubro, cheio de Sportinguistas. A conquista do campeonato, em Odivelas, contra o SL Benfica, também me marcou muito.

L: Gostarias, um dia, de regressar ao Sporting CP?

BB: Não é algo em que, neste momento, pense. Gosto muito do Sporting CP. O Clube deu-me muito e nunca esquecerei isso. Gostaria de seguir a minha carreira como treinador, mas não estou obcecado com isso. Continuo a acompanhar o que todas as modalidades fazem, mas com especial foco para o andebol. Quero vê-los a ter sucesso.

L: Atualmente, estás na Alemanha, ao serviço do HTV Hemer. Como está a ser a experiência?

BB: Está a ser muito bom. A minha família está contente, o que é importante. Quando a família está feliz, nós também estamos. Continuo a jogar andebol, apesar de ser num nível mais baixo do que estava habituado, mas já estou a preparar o fim da minha carreira desportiva. No futuro, vamos ver se sigo a carreira de treinador. Aqui, também desempenho funções de fisioterapeuta, que é a minha formação.

L: Como tem sido viver em contexto de pandemia?

BB: As coisas não têm sido fáceis para ninguém, mas, tendo em conta esta situação, a Alemanha é um dos países que tem lidado bem com a situação. O poderio económico-social ajuda muito nestas alturas. Eu e a minha família temo-nos adaptado muito bem.

“FC Porto está melhor, mas ainda não se notou”

L: Sobre o momento da equipa de andebol do Sporting CP, o treinador, Rui Silva, tem chamado à atenção para alguma inconsistência da equipa. Como tens visto as atuações dos leões?

BB: Tal como o professor Rui Silva, também reparei que o nível da equipa tem oscilado bastante durante os jogos. Isto costuma acontecer em equipas jovens. A entrada e saída de alguns jogadores ajuda a explicar isto. No entanto, as próprias ideias do treinador podem ainda não estar totalmente implementadas. Apesar de ter sido adjunto do Thierry Anti, é normal que queira implementar coisas novas e isso leva o seu tempo. Esperemos que não demore muito e que a equipa se torne o mais consistente possível até porque vêm aí jogos muito importantes. Esperemos que, no final, as contas sejam positivas.

L: Alguns analistas defendem que a diferença entre Sporting CP e FC Porto é, hoje, muito grande. Concordas?

BB: Quando vemos o Sporting CP e o FC Porto a jogar, ficamos com a sensação de que os dragões são mais consistentes. O treinador do FC Porto já está na terceira época no clube, os jogadores sabem, de olhos fechados, o que têm de fazer. No Sporting CP, esse processo ainda está a ser implementado. Sendo sincero, ao dia de hoje, o FC Porto está melhor, mas, nesta fase, isso ainda não se notou. As duas equipas têm vencido os seus jogos.

L: Acreditas que o Sporting CP vai estar na discussão do título?

BB: Claro que sim. O Sporting CP tem de encontrar a fórmula correta e adaptar-se aos jogadores que tem para que possa ser mais regular e chegar aos jogos com o FC Porto num bom momento de forma. No final do dia, o campeão vai-se decidir entre estas duas equipas, mas o SL Benfica também terá uma palavra a dizer.

“Salvador é um dos maiores talentos europeus”

L: No plantel para esta temporada, o Sporting CP conta com inúmeros jogadores formados em Alvalade. Como tens visto a evolução destes jovens?

BB: Mesmo estando longe, tenho acompanhado os jogos do Sporting CP e os miúdos têm estado muito bem. O Manuel, com a ajuda do Cudic e do Skok, está a fazer uma boa época. Tem evoluído bastante. O Salvador está a ter muitos minutos. No ataque, com o Frankis (Carol) e com o Pedro (Valdés), é um pouco mais difícil, mas o tempo dele vai chegar. É um miúdo trabalhador, com características físicas e técnicas espetaculares. É um dos maiores talentos do andebol europeu. O Francisco Tavares parece que já joga há muitos anos. Tem estado muito bem. Não sente qualquer pressão e isso nota-se, por exemplo, nos livres de sete metros.

Fotografia de Sporting CP

  Comentários