VENDA DA SAD AO CHELSEA? ALTA PATENTE DO SPORTING GARANTE: "É EVIDENTE QUE..."
Todd Boehly, dono dos londrinos, já se mostrou atento aos negócios do Clube de Alvalade e tem interesse em investir
Redação Leonino
Texto
6 de Fevereiro 2024, 21:09
Frederico Varandas, Todd Boehly, Sporting, Chelsea

Teve lugar esta terça-feira, dia 6 de fevereiro, a Assembleia Geral de acionistas da SAD do Sporting. A Reunião Magna dos leões  decorreu pelas 18h00, no Auditório Artur Agostinho, situado no Estádio José Alvalade, e teve, como ordem de trabalhos, o empréstimo obrigacionista, a conversão dos VMOC e o aumento do capital social da SAD verde e branca. No final da sessão, Bernardo Ayala falou à imprensa presente e voltou a abordar o interesse do Chelsea em investir no Clube.

“(Chelsea) Não foi discutido, nem fez parte dos trabalhos. Aliás, não houve nenhuma pergunta sobre o tema. É evidente que a partir de o momento em que o Clube é detentor de 88% do capital social, há um conjunto de coisas que podem ser feitas com mais facilidade do que se fosse detentor apenas de 70 ou 65%”, explicou o presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting.

“Há uma margem que o Sporting passou a ter. Uma margem, no fundo, de utilização de todo esse capital, designadamente na busca de um investidor estratégico, se for esse o caso, sem que o Clube perca o controlo da SAD. Os 88% permitem isso mesmo. Mas como disse, o tema não fez parte da ordem de trabalhos e teremos de aguardar para ver quais são os passos do Conselho de Administração”, acrescentou.

Quanto ao empréstimo obrigacionista, Ayala admitiu que a medida “destina-se, essencialmente, a gestão corrente da SAD. É uma solução normal em várias SAD e o objetivo é garantir alguma tranquilidade de tesouraria. Não que ela não existisse sem o empréstimo obrigacionista, mas sendo ele aprovado e havendo outros em curso, a ideia é utilizá-lo para gestão corrente”.

“A aquisição dos VMOC aos dois bancos que as detinham permite que o Sporting fique totalmente liberto de dívida a bancos, o que é uma bênção. Permite retirar dois bancos grandes do universo de credores do Sporting, o que dá uma agilidade de gestão que não se tinha até agora. Para além disso, é um passo necessário para o Sporting ficar com 88% do capital da SAD, o que permite ponderar um conjunto de operação estratégicas para o futuro. (…) É um momento francamente positivo para o Sporting, foi um passo absolutamente essencial”, garantiu.

Confira aqui a vitória do Sporting frente à União de Leiria, para os quartos-de-final da Taça de Portugal:

  Comentários