EM DIA DE RECEÇÃO DO SPORTING AO CHAVES, AMORIM TRAÇA OBJETIVOS – E NÃO SÃO POUCOS
Técnico leonino pode levar equipa de 2023/24 a fazer história não só em Alvalade como em todo o futebol nacional
Redação Leonino
Texto
18 de Maio 2024, 09:54
Rúben Amorim, Sporting, Chaves

O Sporting vai receber o Chaves em Alvalade este sábado, 18 de maio, em jogo válido para a 34ª e última jornada da Liga Portugal Betclic. Após o encontro, que tem pontapé de saída agendado para as 18h00, os leões receberão o troféu de campeões nacionais, envergando uma nova pele que tem dado que falar. Antes disso, ainda há algumas metas que Rúben Amorim estabeleceu e podem colocar o plantel verde e branco de 2023/24 numa posição de estatuto elevado no futebol português.

O primeiro objetivo que o treinador do Sporting delineou é garantir o registo inteiramente triunfante nos jogos em casa. Desde o início da época, a formação leonina disputou 16 jogos em Alvalade, todos eles a terminar em vitória para a turma de Amorim. As probabilidades parecem ser favoráveis a alcançar esta primeira meta.

Uma derrota dos flavienses, contudo, não significaria para o Sporting ‘simplesmente’ uma percentagem 100% vitoriosa de duelos em casa – feito que, só por si, seria inédito no futebol nacional do século XXI. Além do mais, um resultado favorável faria o Clube de Alvalade somar mais três pontos e, consequentemente, finalizar a época com 90 – número que, na história da Liga Portugal, foi uma única vez superado.

Com um confronto em falta para ver o campeonato chegar ao fim, o Sporting tem sido a equipa mais goleadora da prova nacional e soma já um total de 93 golos, o que significa uma média de 2,8 por jogo. Caso os pupilos de Amorim arredondem para cima e finalizem por três vezes frente aos transmontanos, alcançam a marca dos 96 que foi pela última vez registada na época de 1973/74.

Em termos individuais, basta a Gyokeres aguardar o final da partida para ser coroado rei dos goleadores na Liga, dado que, mesmo não marcando, leva já uma vantagem de seis sobre Banza – segundo classificado na lista. Já para o título de melhor assistente, o sueco continua também na corrida, a par de Pote e Nuno Santos.

  Comentários