BENFICA OFERECEU JANTARES DE 600 EUROS A ÁRBITROS
Oferta de jantares no Museu da Cerveja a árbitros, observadores e delegados na mira da Polícia Judiciária, avança TVI. Emails revelados por Rui Pinto ajudam Ministério Público a preparar megaprocesso
Redação Leonino
Texto
2 de Março 2020, 11:36

O Ministério Público estará a preparar uma acusação contra o SL Benfica por suspeitas de corrupção desportiva, segundo a TVI. Numa reportagem exibida no “Jornal das 8” deste domingo, 1 de março, a estação de Queluz de Baixo avança que “a investigação fez um levantamento da faturação do restaurante no Terreiro do Paço, em Lisboa, e chegou à realidade de jantares faustosos de 500 e 600 euros, inclusive com benefício de terceiros, pessoas próximas dos árbitros a quem estes cederam senhas para que usufruíssem de refeições oferecidas pelo Benfica”.

Recorde-se que, em 2016, a UEFA, a Liga de Clubes e a Federação Portuguesa de Futebol arquivaram o caso dos “vouchers”, como ficou conhecido e que foi revelado por Bruno de Carvalho em outubro de 2015, por considerarem que as ofertas dos encarnados estavam dentro dos limites legais. Todavia, estes organismos tomaram essa decisão com base na informação disponibiliza pelos encarnados, ou seja, “refeições no Museu da Cerveja, por valores até 35 euros por pessoa e limitados aos pratos do dia”.

Este caso será apenas uma das partes da acusação que o Ministério Público estará a preparar contra os encarnados. A reportagem de Henrique Machado e Inês Pereira aponta que “este processo ainda não foi alvo de acusação pública, porque foi junto a outro, mais grave e ainda sob investigação, que tem alguns dos mesmos protagonistas e consolida as suspeitas de corrupção desportiva”.

Segundo a TVI, a informação revelada por Rui Pinto no caso dos “e-mails” terá servido como ponto de partida para esta investigação e “apesar de ter sido obtida de forma ilícita pelo hacker português (…) a investigação da PJ com o DIAP de Lisboa foi à volta”. A verdade é que, aquando das buscas à SAD encarnada, o mandato da juíza de instrução criminal era bastante claro: “Os factos sob investigação respeitam à suspeita da atuação de responsáveis do SLB-SAD, que, em conluio com personalidades do mundo do futebol e da arbitragem, procurarão exercer pressão e influência junto de responsáveis da arbitragem e outras estruturas de decisão do futebol nacional, tendo em vista influir na nomeação e classificação de árbitros nesse âmbito”.

Veja a reportagem na integra AQUI.

Fotografia de SOL

  Comentários