CHEGAR, VER E VENCER?
Leões do basquetebol estão em primeiro da LPB Placard e nas meias-finais da Taça de Portugal
Redação Leonino
Texto
5 de Março 2020, 16:52

O basquetebol sénior masculino leonino regressou esta temporada ao Clube. Depois do fim em 1994/95 e do recomeçar da modalidade em 2012/13, com os escalões mais baixos de formação e equipas de sub-19 e sénior femininos, os leões estão este ano a ter uma temporada quase perfeita.

O primeiro treino deste regresso foi a 20 de agosto e desde aí os leões já realizaram mais de uma centena de treinos e 29 jogos, dos quais 24 oficiais. São 26 vitórias e três derrotas, sendo que se as contas foram apenas nos jogos oficiais são 22 vitórias e duas derrotas.

Na LPB Placard, principal campeonato português, a equipa orientada por Luís Magalhães só vacilou num jogo, o dérbi eterno na luz, no qual foram derrotados por 85-79. A partir daí, são 16 vitórias consecutivas, o que dá a liderança na competição a cinco jogos do fim da fase regular.

Os leões têm a margem de erro de um jogo e dois jogos mais complicados do que os restantes: a deslocação ao terreno da equipa bicampeã nacional, a UD Oliveirense e, logo na semana seguinte, a receção ao FC Porto. Tendo em conta o nível apresentado não seria estranho vencer os cinco jogos em falta, mas só dentro de campo se vê favoritismos.

O plantel de Luís Magalhães sofreu recentemente a saída de Demetric Austin e fica, assim, com apenas quatro estrangeiros até ao final da temporada, ainda que exista uma possibilidade algo remota de Brandon Nazione ainda poder jogar esta temporada.

O treinador leonino, um dos melhores treinadores portugueses, já conquistou vários títulos, e este ano quer conquistar mais, como já por diversas vezes referiu. Magalhães teve de montar um plantel do zero e até agora está a ter muito sucesso.

Os leões recrutaram dois dos três melhores jogadores estrangeiros da UD Oliveirense – Williams e Ellisor -, dois estrangeiros que já tinham jogado juntos (Ty Toney e Nazione) e Abdul-Malik Abu, um poste mais atlético do que físico. Além disso, trouxeram dois jogadores a jogar no campeonato universitário norte-americano (Amiel e Cândido Sá), além de jogadores internacionais portugueses (Fonseca, Catarino, Ventura ou Araújo), a esta lista junta-se ainda João Fernandes, vindo da Ovarense, e que tem sido uma das boas surpresas da equipa. Por fim, juntam-se três jovens promessas (Manjate, Cruz e Embaló) que têm jogado mais na equipa satélite – Academia do Lumiar, da Proliga –, do que na equipa principal.

Nas outras competições, os leões caíram nas meias-finais da Taça Hugo dos Santos, ao serem derrotados, após prolongamento, pela Oliveirense, que viria a vencer a competição. Já na Taça de Portugal a equipa verde e branca apurou-se ontem, dia 4 de março, para a final-four, ao bater a Oliveirense após prolongamento (LER AQUI). Os jogos decisivos vão ser em Odivelas nos dias 21 e 22 de março.

O Sporting CP ainda não ganhou nada esta temporada, é um facto, mas tem sido uma equipa muito consistente e que pode vencer qualquer jogo em Portugal, mesmo contando, novamente, com menos um estrangeiro do que os rivais diretos. Março pode ficar marcado por este regresso aos títulos, algo que não acontece desde 1985/86, ano em que os leões foram vencedores da segunda divisão nacional. O último campeonato principal foi conquistado em 1981/82 e a última Taça de Portugal data de 1979/80.

  Comentários