MIGUEL CAL PEDE REGRESSO DOS ADEPTOS AOS ESTÁDIOS
Efeito da covid 19 devastador para os clubes, segundo o antigo administrador da Sporting SAD, que elogia Pinto da Costa e Pedro Proença
Redação Leonino
Texto
15 de Setembro 2020, 11:25

Miguel Cal, ex-administrador da SAD dos leões, em comentário ao jornal Record, refere que é necessário que os adeptos possam voltar aos estádios. Segundo o próprio vive-se “momentos de pressão dramática, do ponto de vista económico e devemos atuar antes que seja tarde de mais” e que esta “é uma preocupação grande sobre o futuro do nosso futebol”, acabando ainda por elogiar Pinto da Costa e Pedro Proença no Twitter.

“Agora que o Sporting CP e o SL Benfica divulgaram os seus resultados anuais, podemos ter a verdadeira perceção do impacto da Covid-19, nas contas dos clubes. Nos primeiros três meses de 2020 (que inclui março que já foi impactado pela epidemia), as receitas comerciais do Sporting CP cresceram 4% comparativamente com as de 2019. Isto num cenário de extrema resiliência já que a situação do Clube foi extremamente desafiante. No trimestre seguinte, as receitas caíram 44%. Repito, 44%. E o pior é que todas as linhas de receitas foram afetadas, todas caíram, quando antes, todas cresciam”, começou por comentar o antigo administrador da Sporting SAD.

Miguel Cal indicou que “de Portugal à Rússia, todos sentem na pele o impacto da falta de adeptos dos estádios. Os clubes não têm estrutura ou almofada que lhes permita aguentar este impacto durante muito tempo. O secretário de Estado do Desporto, afirma que não conhece nenhum clube que tenha fechado portas. Pois esse comboio vem a toda a velocidade e podemos ficar a olhar para ele ou fazer alguma coisa”.

Mas quais seriam as soluções? Miguel Cal nomeou algumas:

. “Limitação da capacidade dos estádios. Do ponto de vista de receitas de bilheteira 3-5% da capacidade valem mais de 1/3 das receitas (segmento corporate), 50% da capacidade vale 60% das receitas de bilheteira remanescentes. Assim sendo, com 40-50% da ocupação do estádio, consegue-se garantir 70-80% da receita total da bilheteira”

. “Introdução de túneis de descontaminação. O West Ham introduziu esta solução para garantir um ambiente descontaminado dentro dos estádios. Existem soluções de empresas portuguesas que garantem a descontaminação de 99% dos vírus.”

.“Obrigatoriedade do uso de máscara. A utilização do uso de máscaras durante todo o período também reduz, substancialmente, o risco de contaminação.”

Como “algo que nunca foi feito, não é sinónimo de falhar”, Miguel Cal, indica que “simplesmente temos de trabalhar e preparar para chegarmos ao resultado desejado. Assim sendo, sugiro que se utilizem os primeiros jogos da época para se ir testando qual a capacidade ótima. Prontifico-me pessoalmente a garantir a implementação das sugestões que coloco nestas linhas”.

Por fim, o ex-administrador da SAD verde e branca partilhou este seu comentário nas suas redes sociais deixando ainda um elogio a Pinto da Costa e Pedro Proença.

“Uma batalha pelo futebol que aos dias de hoje apenas Pedro Proença e Pinto da Costa travam. Há soluções que podem e devem ser testadas. No Japão há adeptos no futebol e ainda não foi registado um único caso de contágio”, pode ler-se na publicação.

  Comentários