PÉNALTI ESPOLETA GUERRA ENTRE REI LEÃO E DRAGÃO MOR
Num artigo de opinião, José Manuel Delgado defende que Presidentes de Sporting CP e FC Porto “se sentem mais confortáveis” a discutir grandes penalidades
Duarte Pereira da Silva
Texto
26 de Outubro 2020, 12:52
summary_large_image

“Com tanta coisa estruturalmente importante que devia estar em cima da mesa, quando devia ser mais importante o que os une do que aquilo que os separa, é a discutir penáltis que se sentem mais confortáveis”. A afirmação é de José Manuel Delgado, num artigo de opinião no jornal A´Bola.

O diretor-adjunto do diário desportivo lembrou que “a última semana ficou marcada pelo combate dos chefes, Frederico Varandas, o rei-leão, atirou- se a Pinto da Costa, o dragão-mor não se ficou e o verniz leonino acabou por estalar, com consequências definitivas enquanto estes dois presidentes se mantiverem no poder”.

Por fim, José Manuel Delgado, de forma subentendida, deixou críticas aos dois Presidentes: “E a que se deveu, então, esta guerra sem quartel entre dois presidentes de instituições centenárias, um e outro baluartes do desporto em Portugal? A divergências quanto aos quadros competitivos obsoletos que puxam para baixo o futebol nacional? À necessidade de centralizar a venda dos direitos televisivos, por forma a revitalizar a indústria do futebol? A opiniões diferentes sobre a forma mais eficaz de internacionalizar a Liga? A ideias diversas quanto às ações a tomar junto do Governo, nomeadamente de ordem fiscal, para minimizar os danos provocados aos clubes pela pandemia?”, concluindo que “não, nada disso. Frederico Varandas e Pinto da Costa entraram numa guerra sem quartel por causa da intensidade de um toque de Zaidu em Pedro Gonçalves”.

  Comentários