“QUEM ESTÁ DENTRO DA ESTRUTURA DO SPORTING CP TEM SEMPRE DE LUTAR PARA SER CAMPEÃO”
Depois de ter sido um dos atletas que conquistou o título nacional no regresso da modalidade e de ter estado três anos no Clube, José Pedro Monteiro relembrou esses momentos. Exclusivo Leonino
Maria Pinto Jorge e Duarte Pereira da Silva
Texto
3 de Junho 2020, 16:03
summary_large_image

Leonino (L): Qual o momento mais especial nesta tua passagem pelo Sporting CP?

José Pedro Monteiro (JPM): Na época em que fomos campeões, o jogo de virada, na Luz. Estávamos a perder 2-0, vamos buscar ao jogo um 3-2, inclusive, entro no momento em que estamos a perder, juntamente com o Lourenço, e conseguimos vencer o jogo a 3-2. Porquê destacar este jogo? Foi aquele que decidiu o primeiro lugar do Campeonato Honda e, olhando um pouco para trás agora, talvez tenha sido o momento chave da época. Sou alguém que olha muito para o coletivo, nunca para o individual. Preocupo-me muito com aquela que é a equipa, mas nessa época, além do título tão saboroso, o primeiro do Pavilhão João Rocha, considero esse um momento muito importante para a época e o momento mais saboroso dos três anos que vivi no Sporting CP.

L: Na presente temporada, o Sporting CP terminou a fase regular no segundo lugar. Achas que a equipa tinha condições para conquistar o título?

JPM: Isso parte da mentalidade de cada um e de como cada um vive aquilo que é o Sporting CP. Acabando em primeiro ou em segundo, quem está dentro da estrutura do Sporting CP tem sempre de lutar para ser campeão, ponto. Pela grandeza do Clube, por tudo o que diz respeito ao nome do Sporting CP. Não posso responder mais que isso, é claro que a equipa tinha potencial para vencer, mas se poderíamos ser campeões ou não, não posso dizer. O que posso dizer é que estávamos a fazer tudo para que isso acontecesse. Infelizmente a pandemia trouxe o fim do campeonato, fica a interrogação, mas devemos frisar que o SL Benfica estava bastante forte, como dizem os números, pois eles ganharam-nos muitas mais vezes que nós a eles e o que fica é mesmo isso, os números.

L: Na última temporada, a equipa não conseguiu revalidar o título conquistado em 2017/2018. O que faltou para que tal tivesse acontecido?

JPM: Indiscutivelmente, o Sporting CP teve a melhor equipa do voleibol português, não digo de sempre, mas muito perto disso. Tínhamos muitas estrelas, mas não funcionou. Não sei dizer porquê, era atleta, estava a lutar pelo meu lugar, apesar de nessa época ter jogado pouquíssimo. Também não percebi a razão. Equipa tínhamos, tínhamos uma constelação de estrelas dentro do plantel e não conseguimos, não consigo precisar o porquê de ter acontecido.

L: Gostarias que Hugo Silva tivesse ficado no Sporting CP?

JPM: Gostei de trabalhar tanto com o Hugo Silva, como com o Gersinho. Eram estilos diferentes, mas dois bons treinadores.

  Comentários