VARANDAS: “ESTE LANCE NUNCA SERIA REVERTIDO NO DRAGÃO OU NA LUZ”
Após o clássico, Presidente do Sporting CP fez duras críticas à arbitragem do clássico e deixou farpas a Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa
Duarte Pereira da Silva
Texto
18 de Outubro 2020, 11:02
summary_large_image

No final do clássico entre Sporting CP e FC Porto, que terminou empatado a duas bolas, Frederico Varandas compareceu no Auditório Artur Agostinho e teceu duras críticas à arbitragem do clássico, nomeadamente a Luís Godinho e a Tiago Martins (VAR). O Presidente dos leões deixou ainda algumas farpas a Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa.

“Hoje, o Sporting CP está triste porque perdeu dois pontos e acho que o futebol português também deve estar triste porque teima em não mudar”, começou por referir Varandas.

Quanto ao lance da grande penalidade, que haveria de ser revertido pelo VAR, o líder do Clube verde e branco não tem dúvidas de que o mesmo não aconteceria no Estádio da Luz ou no Dragão: “Já vi o lance várias vezes. Este lance nunca seria revertido no Estádio do Dragão ou no Estádio da Luz. O árbitro vê um empurrão nas costas, assinala penálti e depois o VAR começa a analisar se há intensidade suficiente, se é dentro ou fora. O árbitro assinalou penálti. O VAR deve intervir num lance com um erro clamoroso. É subjetivo? É. Para mim, é penálti? É. O jogador está no ar, leva um encosto. Se é pouco ou grande, não sei. É o suficiente, é penálti. Foi marcado, em Alvalade é revertido”.

Frederico Varandas recordou também alguns casos recentes em que, no seu entender, os leões foram prejudicados: “Em Tondela, o Doumbia foi pisado, o árbitro, e bem, mostrou cartão direto e o VAR reverteu para amarelo. Em Moreira de Cónegos, um penálti claríssimo que também não foi marcado. São estas coisas que acontecem no futebol português, mas sobretudo ao Sporting CP. Já nem falo da expulsão inerente da falta da grande penalidade. O Zaidu tem de ir para a rua com um pisão que é vermelho direto”.

Tendo em conta tudo isto, o Presidente do Sporting CP afirmou que “é por isto que o futebol português devia estar triste. Portugal tem tudo para ser um país fantástico. Mas infelizmente, para triunfar e vencer só por mérito e trabalho é muito difícil. No futebol, ainda mais. Não interessa se a pessoa foi apanhada em escutas ou se há processos judiciais. Interessa se tem poder, se ganhou ou se venceu. E aí, todos prestam vassalagem. O Sporting CP dá todo o apoio ao presidente da arbitragem, mas já disse que se os soldados não prestam, encostam-se. Muitas vezes, há um denominador comum”.

Por fim, Frederico Varandas garantiu que os leões não vão jogar sujo, mas também disse que, se necessário, vão fazer muito ´barulho´: “O Sporting CP tem valores de que não abdica. Não vamos fazer o que se fazia nem jogar sujo. Se tivermos de gritar alto, gritamos bem alto. Queremos acreditar, vamos continuar e é com estes valores que vamos vencer. Custe o que custar, vamos vencer”.

  Comentários