"NO FUTEBOL PORTUGUÊS CONTINUAM A PERSISTIR MUITAS CAIXAS NEGRAS"
No editorial da edição n.º 3803 do Jornal Sporting, administrador da SAD leonina abordou polémica em torno de Nuno Mendes e Šporar, destacando falsidade das declarações do diretor geral da Unilabs
Duarte Pereira da Silva
Texto
21 de Janeiro 2021, 11:36
summary_large_image

André Bernardo considera que “no futebol português, continuam a persistir muitas caixas negras”. No editorial da edição n.º 3803 do Jornal Sporting, o administrador da SAD leonina abordou a polémica em torno de Nuno Mendes e Šporar, destacando falsidade das declarações do Diretor Geral da Unilabs.

“O que é verdade é que Nuno Mendes e Šporar não têm COVID-19, tal como comprovado pelos três testes negativos adicionais que foram efetuados (…) Os erros acontecem, e quis o acaso que ao Sporting CP acontecessem em dois jogadores numa amostra de 30, desafiando o estatisticamente provável. E quis o acaso que ocorresse no jogo com o Rio Ave FC quando nessa jornada se disputava o clássico FC Porto vs. SL Benfica”, começou por ironizar André Bernardo.

O Diretor do Jornal Sporting chama ainda a atenção para a falsidade das declarações do Diretor Clínico da Unilabs: “O que também é verdadeiro é que o Diretor Clínico da Unilabs enviou ao Sporting CP um e-mail em que reconhecia esse facto. Assim como são verdadeiras as suas declarações em que “tudo o que se passou depois daí (o ter validado os testes iniciais) não faço ideia. Não fomos contactados”. Ora, como o e-mail supra-referido atesta, o conteúdo desta declaração é falso, mas neste caso não tem nada de positivo. Ele não só foi contactado como aliás respondeu… até que deixou de responder”, concluindo que “a resposta nunca chegou e o Sporting CP viu-se uma vez mais privado de poder utilizar ambos os jogadores”.

“Não sabemos vestir outra posição que não seja a da verdade desportiva”

A finalizar, André Bernardo não tem dúvidas de que “infelizmente, no futebol português continuam a persistir muitas caixas negras, muito embora os inputs e outputs sejam conhecidos e repetidamente os mesmos”.

O Administrador da SAD do Sporting CP defende que, na meia-final da Taça da Liga, prevaleceu, acima de tudo, a verdade desportiva: “Cabe a cada um decidir que camisola quer vestir. Nós, como já disse em anterior editorial, por feitio e não defeito, não sabemos vestir outra que não seja a da Verdade Desportiva. E terça-feira, de verde e branco, ganhou acima de tudo a Justiça e a Transparência que é aquilo que transforma uma vitória em Glória, à la Sporting”.

Fotografia de Sporting CP

  Comentários