ANTIGO TÉCNICO DO SPORTING QUESTIONA ESTRATÉGIA DOS LEÕES E DEIXA QUESTÃO NO AR: “SE MORITA FICASSE…”
Ex-treinador e responsável dos verdes e brancos questiona falta de opções para Rúben Amorim atacar todas as frentes
Redação Leonino
Texto
23 de Novembro 2023, 08:12
Morita, Matheus Reis, Morten Hjulmand, Viktor Gyokeres, Sporting

Augusto Inácio defende que, mesmo sem a ausência de Morita durante o próximo mês de janeiro, o meio-campo do Sporting já precisava de um médio. Em declarações ao jornal ‘A Bola’, o antigo técnico campeão pelos leões considera positiva a eventual ida dos verdes e brancos ao mercado.

“Sempre disse, mesmo antes da época arrancar, que o Sporting precisava de mais um médio. O plantel estava um pouco debilitado nessa posição. Após a saída de Ugarte e Palhinha, o Sporting não teve um verdadeiro 6, aquele que ocupa o espaço dos médios que avançam mais no terreno. Esse médio, o Sporting não tem. Penso que é por aí que vai à procura”, atira Inácio.

“Provavelmente, como o Morita vai estar ausente, naturalmente que o Rúben vai querer um médio com aquelas características para não desvirtuar aquilo que é o jogo do Sporting e o que está trabalhado. Mas, se olharmos bem para o plantel, nós não vemos verdadeiramente o 6. E o que lá tem, parece que não está a contar com ele, o Essugo”, refere o antigo técnico.

“O scouting do Sporting provavelmente terá já alguns jogadores referenciados. No caso deste ou aquele não poder vir, mas há sempre gente no mercado, desde que haja dinheiro para contratar. O Sporting este ano acertou em cheio nas contratações e naturalmente já houve notícias que Sporting teria 10 milhões para contratar”, afirma Augusto Inácio.

“Se o Morita ficasse cá, naquele mês de janeiro, o Sporting iria contratar esse médio ou não? De qualquer maneira, mesmo com Morita, o Sporting precisaria sempre de um médio para estar mais descansado nas frentes em que está envolvido”, finaliza o ex-técnico que foi campeão pelo Sporting.

  Comentários