ÁRBITRO QUE AGREDIU ADEPTA DO SPORTING CP EM SILÊNCIO
No início do julgamento, na passada quinta-feira, Nuno Manso optou por não prestar qualquer esclarecimento
Duarte Pereira da Silva
Texto
23 de Outubro 2020, 15:29
summary_large_image

Nuno Manso, árbitro-auxiliar de primeira categoria acusado de ter agredido e insultado uma adepta do Sporting CP, ficou em silêncio no início do julgamento. O caso ocorreu após um dérbi entre leões e águias em que o árbitro participou.

“Agarrou-me pelos colarinhos, atirou comigo para o outro banco e, praticamente em cima de mim, testa com testa, disse-me: ‘Eu viro-te de pernas para o ar, parto-te toda. Tu nunca mais me chamas gatuno. És um nojo de mulher´”, referiu a agredida.

O Ministério Público havia acusado o árbitro de ofensas à integridade física. Nuno Manso recorreu e viu o juiz agravar os crimes, acusando-o ainda por injúrias. O árbitro pode vir a ter de pagar 5 mil euros de indemnização à agredida.

  Comentários