DGS RESPONSABILIZA UNILABS
Em comunicado, Direção-Geral de Saúde confirma palavras de Varandas, remetendo responsabilidade para Autoridade de Saúde territorial
Tiago Jesus
Texto
20 de Janeiro 2021, 11:37
summary_large_image

Nesta quarta-feira, 20 de janeiro, a Direção-Geral da Saúde emitiu um comunicado sobre os casos de Nuno Mendes e Sporar, que os leões defendem ter sido falsos positivos. Frederico Varandas abordou esta situação na passada terça-feira (LER AQUI), tendo agora a DGS confirmado o que havia dito o presidente Leonino.

A DGS afirma que responsabilidade nesta situação foi da Autoridade de Saúde territorial, que solicitou à Unilabs “informação sobre se os resultados analíticos dos dois jogadores que estavam a ser avaliados constituíam falsos positivos”. A ausência de resposta motivou a que Nuno Mendes e Andraz Sporar não pudessem competir frente ao FC Porto.

Eis o comunicado:

“Na sequência das questões que estão a ser colocadas relativamente à investigação epidemiológica de COVID-19 nos clubes de futebol, segue esclarecimento:

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informa que, à data, a investigação epidemiológica de COVID-19, incluindo os inquéritos epidemiológicos e a avaliação de risco no que respeita a clubes de futebol, é da responsabilidade da Autoridade de Saúde territorialmente competente, tal como previsto na Norma 015/2020, na Orientação 036/2020, e demais enquadramento técnico-normativo da DGS.

Concretamente no que respeita aos dois jogadores do Sporting que terão tido um resultado positivo, a Autoridade de Saúde territorialmente competente, a quem cabe determinar as medidas, solicitou por escrito ao diretor médico da Unilabs-Portugal informação sobre se os resultados analíticos dos dois jogadores que estavam a ser avaliados constituíam falsos positivos, não tendo obtido resposta em tempo útil.”

Fotografia de Sporting CP

  Comentários