“É PRECISO FALAR VERDADE”
Nuno Saraiva quer valorização dos jovens, clareza na comunicação e traça objetivo realista para 2020/2021: acesso à Champions League
Redação Leonino
Texto
5 de Maio 2020, 18:44

Nuno Saraiva assina, na edição desta terça-feira, 5 de maio, um artigo de opinião onde aborda a atualidade leonina. O futuro, com destaque para a formação verde e branca, e a política de comunicação foram alguns dos temas em destaque.

“Estou convicto, até pela natureza exportadora do futebol português, de que o pós-pandemia terá de ser encarado pelo Sporting Clube de Portugal de forma necessariamente diferente. A alternativa, óbvia e evidente, passa por olhar clinicamente para a nossa Academia, em tempos das melhores do Mundo, com competência e olhos de ver”, começa por referir Nuno Saraiva.

Apesar de admitir que a formação do Sporting CP “não tem hoje o mesmo crédito que a dos nossos rivais”, o antigo diretor de comunicação dos leões defende que a aposta tem de passar por Alcochete e lança nomes como Luís Maximiano, João Palhinha, Francisco Geraldes, Daniel Bragança, entre outros.

A valorização, desde cedo, dos mais jovens, é outro dos aspetos abordados por Nuno Saraiva: “É fundamental regressar ao tempo pré-Academia, em que os miúdos eram bem tratados no centro de estágio. Nesse tempo todos queriam jogar pelo Sporting, e foi dessas fornadas que saíram os Cristianos, os Figos, os Futres, os Quaresmas ou os Nanis, só para dar alguns exemplos”.

Quanto à política de comunicação dos leões, Nuno Saraiva não tem dúvidas em afirmar que a mesma deve basear-se na verdade e não em vender ilusões aos adeptos: “O Presidente do Sporting Clube de Portugal não pode seguir uma estratégia de comunicação que sirva para iludir e enganar os sócios e adeptos, com frases feitas e chavões mobilizadores. Não! O que é preciso, repito, é ter a coragem de falar verdade, por mais dura e dolorosa que ela seja”.

Por fim, e já com os olhos postos na próxima temporada, o antigo diretor de comunicação do Clube acredita que, com os três lugares de qualificação para a UEFA Champions, o objetivo deve ser precisamente o apuramento para a prova milionária: “Aquilo que pode e deve ser prometido é trabalho, empenho, compromisso e esforço para atingir um objetivo que é o único que, realisticamente, pode ser atingido: assegurar um lugar na edição de 2021/2022 da Champions League. Tudo aquilo que venha acima da conquista deste objetivo, realista repito, é lucro”.

Fotografia de Sporting CP

  Comentários