LEÕES DERROTADOS NO DÉRBI ETERNO
Voleibol do Sporting CP perdeu, por 3-2, diante do SL Benfica
Duarte Pereira da Silva
Texto
7 de Outubro 2020, 19:24
summary_large_image

A equipa principal de voleibol do Sporting CP foi, esta quarta-feira, derrotada pelo SL Benfica, por 3-2, com os parciais de 15-25, 22-25, 25-19, 25-23 e 15-11. Em jogo referente às meias finais da Supertaça 2019/20, os leões até lideraram por dois sets a zero, mas acabaram por sair derrotados.

As equipas entraram algo nervosas no encontro, cometendo alguns erros no serviço, com o intuito de dificultar a receção do adversário. Porém, com 4-4 no marcador, e com Paulo Víctor (PV) no serviço, os leões somara oito pontos seguidos (12-4). Aos 8-4, Marcel Matz ainda tentou quebrar o ritmo do brasileiro, mas sem sucesso. O oposto de 34 anos estava a disparar autênticas bombas e a receção encarnada pouco ou nada conseguia fazer.

Contudo, não era apenas no serviço que os comandados de Gersinho estavam em grande. A receção, o bloco e a distribuição dos leões apresentavam um nível de eficácia bastante elevado. O distribuidor leonino, Bruno Canhoto, estava a assistir os seus companheiros na perfeição, com Víctor Hugo (centro da rede) e Paulo Víctor em maior evidência.

Desta forma, o triunfo verde e branco no primeiro set, por 25 – 15, surgiu com toda a justiça. No capítulo individual, e apesar de toda a equipa ter estado a um nível excelente, Paulo Víctor (oposto), Bruno Canhoto (distribuidor) e Víctor Hugo (central) foram os leões que mais se destacaram.

Tal como havia acontecido no início da contenda, o segundo parcial começou bastante equilibrado (4-4), mas a história, de certa forma, repetiu-se e Paulo Víctor voltou a fazer a diferença no serviço. Desta vez, o técnico do SL Benfica pediu um desconto de tempo após dois pontos consecutivos (7-4) e conseguiu parar a sequência de PV, como é conhecido no mundo do voleibol.

Por esta altura, os encarnados, com um maior acerto na receção e agressividade no serviço, melhoraram os seus índices exibicionais e conseguiram saltar para frente do marcador (15-13). Apercebendo-se disso mesmo e também da ligeira quebra de rendimento dos seus comandados, Gersinho pediu um desconto de tempo.

No reatar, o Sporting CP voltou a elevar o nível e igualou de novo o resultado (18-18). Foi a vez de Marcel Matz pedir um time-out e os encarnados voltarem a conseguir superiorizar-se (20-18). Gersinho respondeu de imediato com nova paragem do encontro.

Num final de parcial emocionante, os leões aproveitaram da melhor maneira os erros das águias, nomeadamente de Hugo Gaspar, e voltaram a triunfar. Desta feita, por 25-22. Neste set, destaque para Gersinho. O técnico brasileiro leu bastante bem as incidências do encontro e a vitória leonina em muito se deveu à intervenção de Gersinho.

No terceiro parcial, os leões não tiraram o pé do acelerador e saíram na frente do marcador, alcançando uma vantagem de três pontos (4-1). A resposta encarnada surgiu por intermédio de Rapha, que, no serviço, somou cinco pontos consecutivos (6-4). Gersinho foi, assim, obrigado a pedir um time-out. Numa fase inicial, os seus pupilos reagiram bem e até lideraram, de novo, a contenda (10-9). Contudo, o SL Benfica voltou a impor a sua lei (14-10) e Gersinho parou o encontro.

Até ao final, as águias mantiveram o nível e acabaram mesmo por vencer o terceiro set, por 25-19. Apesar do mérito das águias, os rapazes de verde e branco cometeram alguns erros e permitiram que os encarnados triunfassem neste parcial.

No quarto set, foi a vez do SL Benfica começar melhor (6-4). A vantagem encarnada era, porém, magra e os leões iam-se mantendo colados ao eterno rival. Neste momento, as duas equipas denotavam algum desgaste físico e o nível do encontro caiu um pouco. Quem parecia não abrandar o ritmo era PV. O oposto brasileiro estava a ser um autêntico abono de família para a turma de Alvalade

Com mais de metade do parcial decorrido, e depois de uma troca de descontos de tempo, o equilíbrio era total: 15-15. Todavia, aproveitando os erros das águias, os leões conseguiram voltar a liderar a contenda (18-16) e estavam mais pertos do triunfo. Apercebendo-se de que o desaire estava próximo, Marcel Matz pediu um time-out. Logo de seguida, depois de dois erros dos seus comandados (20-18), o treinador do SL Benfica voltou a parar a contenda e teve sucesso, com a sua equipa a somar três pontos consecutivos (21-20).

Num final de um set impróprio para cardíacos, e com alguma sorte à mistura, as águias venceram o quarto parcial (25-23) e forçaram a negra.

No set decisivo, Hélio Sanches, com um amorti, fez o primeiro ponto para a turma de Alvalade. Na resposta, Rapha restabeleceu a igualdade (1-1), mas, logo de seguida, rematou para fora e colocou o Sporting CP na frente (3-1). No entanto, com Theo no serviço, os encarnados voltaram a igualar a partida (3-3).

Depois de uma chamada errada por parte da equipa de arbitragem a um serviço de Bruno Canhoto, Éder Levi cometeu o erro no ataque e o SL Benfica passou, pela primeira vez, para a liderança (6-5).

Na troca de campo, o conjunto de Marcel Matz vencia por apenas um ponto (8-7) e o equilíbrio era total. Até final, o encontro decidiu-se em pequenos detalhes e acabou por cair para o lado do eterno rival (15-1).

Apesar do desaire, fica a boa imagem deixada pela turma de Gersinho, que não esteve longe da vitória.

No próximo sábado, 10 de outubro, pelas 16h00, o Sporting CP volta a entrar em campo. Em partida relativa à 5.º jornada do Campeonato Nacional, os leões terão pela frente a AJ Fonte do Bastardo.

  Comentários