MIGUEL SOUSA TAVARES ARRASA ADEPTOS DO BENFICA E COLOCA-SE AO LADO DO SPORTING: "NUM PAÍS A SÉRIO..."
Comentador e adepto do Porto comentou adiamento da partida dos leões em Famalicão
Redação Leonino
Texto
7 de Fevereiro 2024, 11:31
Miguel Sousa Tavares, Sporting

Miguel Sousa Tavares, num recente artigo de opinião no jornal ‘Record’, teceu duras críticas à falta de responsabilização das forças policiais no que diz respeito ao jogo entre o Sporting e o Famalicão, deixando, ainda, um recado aos adeptos do Benfica.

“Num país a sério, o Sporting, o Nacional, a Liga de Futebol, os espectadores que ficaram à porta dos estádios ou os comerciantes que tiveram os seus estabelecimentos vandalizados por falta de polícias, tratariam, cada um por si ou em litisconsórcio, de demandarem judicialmente em processo civil os polícias desertores dos seus deveres, exigindo-lhes a correspondente indemnização por danos sofridos”, começa por afirmar Miguel Sousa Tavares,

“Note-se: não a PSP ou a GNR, mas cada polícia faltoso individualmente, de modo a que eles não pudessem remeter a responsabilidade financeira para os contribuintes. Depois, um tribunal julgando pela justiça e não por habilidades jurídicas, que, obviamente, não compraria a ficção da súbita indisposição de 13 dos 15 polícias destacados para Famalicão, trataria de os fazer pagar pelos danos causados.”

“Isso, independentemente das razões que lhes assistem ou não, ensiná-los-ia a defenderem a sua causa como homenzinhos e não como miúdos, recorrendo a truques que só desprestigiam a causa e a profissão”, prossegue depois o comentador e cronista.

“E num país a sério, os colegas desses polícias não seriam depois aplaudidos no Estádio da Luz, apenas porque aí compareceram para cumprir o seu dever e o povo queria era que houvesse jogo, fosse lá como fosse. Há alturas em que há coisas mais importantes do que o futebol.”, concluiu.

Relembra-se que o confronto, originalmente programado para as 18h00 do passado dia 3 de fevereiro, teve o seu início adiado para as 19h00 devido à ausência da presença policial. No entanto, após várias reuniões entre os dirigentes da Liga Portugal e os representantes das duas equipas, foi determinado que o embate entre leões e famalicenses não ocorreria e teria de ser adiado. 

  Comentários