“O SPORTING É O MAIOR CLUBE OLÍMPICO DE PORTUGAL E ISTO PODE SER POSTO EM CAUSA”
Secretário-geral do Comité Olímpico de Portugal expressa as suas preocupações enquanto profissional e Sportinguista, revelando receio de que o ecletismo do Clube não esteja a ser preservado. Exclusivo
Maria Pinto Jorge
Texto
13 de Agosto 2020, 18:09
summary_large_image

Depois das notícias que dão conta de um grande abanão no gabinete Olímpico do Sporting CP, em que a grande redução do orçamento e a aposta da Direção de Frederico Varandas ser nas modalidades coletivas, o Leonino esteve à conversa com José Manuel Araújo, secretário-geral do Comité Olímpico de Portugal, e o mesmo explicou as preocupações mais relevantes neste momento.

“Enquanto secretário-geral do Comité Olímpico, expresso a minha preocupação pela possibilidade de haver um conjunto de atletas das modalidades individuais, visto que se percebe aqui uma diferença entre as individuais e as coletivas, de poderem ver abaladas, nesta altura da preparação para Tóquio, as suas condições normais de trabalho junto dos clubes. O Comité garante, como já o afirmou a todos os atletas, treinadores, clubes e federações, que continuaremos a cumprir todas as nossas obrigações e as bolsas dos atletas estão absolutamente garantidas antes e depois dos Jogos Olímpicos, como é habitual”, começou por referir, em exclusivo ao Leonino.

“Vemos com preocupação aquele que é o somatório dos rendimentos dos atletas”

Além disso, é realmente substancial e preocupante a ideia de que os atletas das várias modalidades possam não estar com os seus rendimentos estabilizados, sobretudo no que toca aos clubes formadores, numa altura em que a pandemia tem resultado em algumas medidas que vêm a prejudicar as modalidades. No caso do Sporting CP, que é um clube grande, mas também formador.

“Vemos com preocupação aquele que é o somatório dos rendimentos dos atletas, a parte da bolsa Olímpica mais o valor que recebem diretamente do clube. Por outro lado, temos ainda chamado à atenção para o impacto que a pandemia está a ter no desporto nacional e de que forma está a afetar os clubes, sobretudo os de formação”, vincou.

Tendo em conta que este é um problema para o qual o Comité Olímpico já chamou à atenção do próprio Governo, o mais relevante, atualmente, passa mesmo por perceber que atletas estão a ser prejudicados e como, como refere José Manuel Araújo.

“Começou ontem (4 de agosto) uma onda de perceber quais os atletas que estavam a ser afetados por esta questão e este é um sinal preocupante. Tenho receio de que isto possa acontecer, dificultando não a preparação nem o treino, mas fundamentalmente na estabilidade dos atletas e da sua certeza de que até aos Jogos Olímpicos teriam as suas bolsas e os seus ordenados dos clubes devidamente regularizados”, referiu.

Além de um papel de destaque no Comité Olímpico, o secretário-geral é, ainda, um Sócio assumido do Sporting CP. Por sua vez, deixando o lado profissional de lado, José Manuel Araújo deixou a sua opinião enquanto associado do Clube de Alvalade.

“Acho completamente inadmissível e inaceitável haver uma decisão que coloque em causa a história Olímpica do Sporting CP”

“Enquanto Sportinguista vejo com preocupação a divisão entre as modalidades coletivas e as individuais. É uma opção desta Direção, manter o nível competitivo mais elevado ao nível das modalidades coletivas, mas o ADN do Sporting CP é o ecletismo. O ecletismo é muito marcado pelo número de modalidades individuais que também são totalmente essenciais para o Clube. Estamos a falar da natação, do atletismo, da ginástica, do judo, do tiro, enfim. São uma série delas que fazem campeões europeus, campeões mundiais e o Sporting CP não pode dar sinais de preferir uns a outros, mas sim um sinal de cuidado para com esse ecletismo”, indicou, com algum pesar.

A remodelação que aparenta estar a acontecer nas modalidades leoninas, sobretudo com incidência no comité Olímpico do Clube, leva mesmo a que se considere “inaceitável” uma tomada de posição que faça esse ecletismo desaparecer ou ser menosprezado.

“A ser verdade, acho completamente inadmissível e inaceitável haver uma decisão que coloque em causa a história Olímpica do Sporting CP. O Sporting CP é o maior Clube Olímpico de Portugal e isto pode ser posto em causa. É muito fácil gerir bem quando há muito dinheiro e é muito mais exigente gerir bem quando há pouco, mas é preciso perceber que atos de gestão, com os quais não concordo, tal como sempre assumi, que não estão a correr bem. Isso lamento. Estamos a falar de um nível muito alto, de atletas que estão no topo mundial. É importante que o Sporting CP perceba que não os pode tratar desta forma”, terminou.

Miguel Albuquerque, diretor-geral das modalidades do Sporting CP, também foi contatado pelo Leonino, mas optou por não fazer comentários.

  Comentários