VICE-PRESIDENTE DE BRUNO CARVALHO ELOGIA COLEGAS DE DIREÇÃO, MAS ‘DESTRÓI’ O ANTIGO PRESIDENTE – PARTE II
Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela e Luís Gestas com nota elevada, em contraste com avaliação muito negativa que faz do ex-líder do Sporting
Redação Leonino
Texto
10 de Novembro 2022, 14:53

Esta é a segunda parte do artigo. Saiba tudo o que Vicente Moura disse sobre Bruno de Carvalho: Leia mais AQUI.

No livro ‘Crónica Olímpica’, apresentado esta quarta-feira, 9 de novembro, Vicente Moura dispara forte sobre Bruno de Carvalho, ao mesmo tempo que deixa elogiosas palavras a alguns membros da Direção com quem privou mais de perto.

Mentiroso, sem carater, demagogo e populista são alguns dos ‘mimos’ com que o antigo líder do Comité Olímpico Português utiliza para descrever a pessoa que presidiu à Direção da qual fez parte durante cinco anos.

(continuação)

Bruno de Carvalho: “Confiava inteiramente no seu discernimento”

“Trabalhador incansável, confiava inteiramente no seu discernimento e capacidade de exercer o poder, desvalorizando em parte, preocupações organizativas, e, totalmente as opiniões dos que o acompanhavam nos órgãos sociais”.

“Quando o resultado nos era adverso (nas modalidades), o Presidente evidenciava grande desconforto e, findo o jogo, sem mais, abandonava o pavilhão”.

“À medida que que ele (Bruno de Carvalho) se tornava popular e mediático, ia acentuando as suas relações diretas com setores organizados de adeptos, Sócios ou simpatizantes do Clube, em detrimento dos laços com que os que se encontravam próximos dele”.

“Bruno Carvalho, enquanto Presidente do Clube, infelizmente, tanto para ele como para o Sporting, trocou as virtudes da discussão plural e democrática dos assuntos (…) pela decisão autocrática das questões”.

“No decorrer do segundo mandato, ficou patente que as algumas das suas opções careciam de serenidade e maior ponderação”.

“O seu discurso iniciou o declínio que conduziu à sua destituição”

“O seu discurso (na noite da reeleição) iniciou o declínio que conduziu à sua destituição e ao seu desprestígio pessoal”.

“Bruno de carvalho continuou a evidenciar a sua incompreensão acerca das dificuldades que caracterizam o desporto”.

“A impressão que se tinha do seu comportamento era que o que verdadeiramente mais lhe importava no resultado positivo era a possibilidade de ele extrair prestígio e benefícios”.

“A irresponsabilidade e demagogia com que conduzia os assuntos do Sporting, a que se associava uma incapacidade de ler os sinais que continuamente lhe chegavam da opinião pública e de um conjunto cada vez mais alargado de Sócios, fizeram com que não só eu, mas vários outros destacados sportinguistas tivéssemos passado a considerar prejudicial a sua permanência no Clube”.

“Bruno Carvalho reduziu a cinzas tudo o que construíra”

“Acometido de vertigens populistas e autoritárias, sem se dar conta, abriu a caixa de Pandora, que o levaria à catástrofe”.

“A história que me contara no início do primeiro processo eleitoral (…) era uma enorme mentira. Bruno de Carvalho não só mentiu quando me referiu os presumíveis investidores russos (Saiba mais AQUI), como iludiu, de uma forma geral, o conjunto dos seus apoiantes. Esta circunstância, por si só, diz muito do seu caráter”.

“Nem todos os indivíduos estão à altura da responsabilidade do exercício dessa autoridade e que, a partir do momento em que deixam de acatar as normais legais e a moral, a confundem com autoritarismo. O apego do individuo a um cargo não pode fazê-lo esquecer das restrições que naturalmente estão associadas ao seu exercício”.

“Bruno de Carvalho usou a sua imagem pública em proveito próprio”

“Entre o que Bruno de Carvalho afirmava e a forma como se comportava, tanto no Clube como na sua vida privada, evidenciava-se uma substancial diferença”.

Fotografia de Sporting

  Comentários