CAMPEONATO NACIONAL DE CLUBES ARRANCA ESTE FIM-DE-SEMANA
“O Sporting CP entra sempre para ganhar e é isso que os atletas vão fazer”, disse Ricardo Monteiro, treinador de lançamentos
João Estanislau
Texto
14 de Agosto 2020, 11:37
summary_large_image

Começa já este sábado, dia 15 de agosto, o Campeonato Nacional de Clubes de atletismo. A prova realiza-se em várias cidades e o emblema leonino competirá no Estádio Universitário de Lisboa.

Em declarações ao Jornal Sporting, Ricardo Monteiro, treinador de lançamentos, afirmou que o Clube leonino “entra sempre para ganhar”, pois tem “duas equipas muito boas”, a masculina e a feminina.

“Os atletas prepararam-se conforme conseguiram, todos os dias era um novo desafio. Tiveram de reinventar a forma de treinar e eu próprio tive de improvisar bastante, mas é nos momentos difíceis que se veem os verdadeiros Leões. Do ponto de vista desportivo, é incrível como é que alguns deles estão a bater recordes pessoais e nacionais depois da retoma. Temos o exemplo da Auriol Dongmo, que tem vindo a melhorar cada vez mais o recorde nacional (do lançamento do peso). Ela é o maior exemplo que temos neste momento”.

“A Auriol está muito bem, mas temos mais atletas em excelente forma. Nas femininas, numa situação normal e anormal, espero a vitória das nossas atletas. Nos masculinos temos mais algumas dificuldades, mas a prova só se ganha no fim. Na parte masculina, temos os atletas preparados. Eles estão a fazer boas marcas também e vão dar o melhor contributo possível à equipa”, continuou o técnico afirmando ainda que “na categoria de lançamentos, quase todos os melhores atletas nacionais”.

Concluiu dizendo que equipa feminina de atletismo dos leões “se sente confortável a ganhar” e ainda colocou a fasquia muito alta afirmando que é “a melhor equipa da Europa” e que a forma das outras equipas olharem para o Sporting CP é “com muito respeito”.

Quem também falou foi Anabela Leite, treinadora de velocidade e barreiras, afirmando que “vai ser um Campeonato disputado num formato diferente do habitual”.

“Essas diferenças vão levar a que os Clubes tenham alguns cuidados acrescidos, o que fará com que esta seja uma prova diferente. Haverá apenas uma jornada, com os Clubes a terem de jogar as peças de uma forma diferente porque normalmente os atletas tinham uma noite para descansar. Além disso, as provas vão ser disputadas em seis pistas diferentes, o que faz com que os atletas de meio fundo e fundo, que normalmente fazem provas muito táticas, tenham de correr em contra-relógio. Isso vai afetar um pouco a escolha dos elementos da equipa e fazer com que haja um jogo diferente por parte de todas as formações”, disse.

Os objetivos são claros e passam por ganhar, pois a treinadora afirmou que “no sector feminino, à partida vai ser vencedor” e “mesmo que haja alguma surpresa”, a mesma não vai afetar o triunfo.

Já no sector masculino, a técnica reconhece que a equipa está mais debilitada do que nos anos anteriores e apresenta alguns pontos fracos. A vitória vai ser muito complicada”.

“O adiamento dos Jogos Olímpicos e dos Campeonatos da Europa fez com que os atletas deixassem de ter objetivos. Depois veio a paragem de praticamente dois meses e o regresso aos treinos em que as condições de trabalho não eram iguais para todos. Tudo começou com a permissão para treinar dada aos atletas de topo que lentamente foi sendo alargada aos restantes. Alguns não conseguem fazer treino de força no ginásio porque o espaço ainda hoje está fechado a alguns atletas. Foi uma agradável surpresa porque as marcas que estão a aparecer demonstram muita qualidade e isso não seria de esperar num ano destes. Os Campeonatos de Portugal do fim de semana passado são a prova disso. Os atletas conseguiram dar a volta por cima e fazer o seu trabalho”, concluiu Anabela Leite.

Fotografia de Sporting CP.

  Comentários