"CONTINUIDADE DO SPORTING PODE FICAR EM RISCO"
Em entrevista ao Leonino, Ricardo Oliveira abordou possibilidade de ser candidato à presidência do Clube de Alvalade, deixando duras críticas a Frederico Varandas
Duarte Pereira da Silva
Texto
8 de Outubro 2021, 18:26
summary_large_image

Ricardo Oliveira não descarta a hipótese de ser candidato a Presidente do Sporting. Em entrevista ao Leonino, o Sócio e acionista da SAD verde e branca mostrou-se “disponível para melhorar aquilo que se passa no Sporting”, deixando duas críticas a Frederico Varandas.

“Sou contra esta gestão. Candidato? Não é tempo para se falar nisso”

Leonino (L): É candidato a Presidente do Sporting?

Ricardo Oliveira (RO): Tenho tecido algumas opiniões sobre a forma como o Conselho Diretivo tem gerido o Sporting, que, para mim, não corresponde às necessidades objetivas de gestão face ao momento atual e à situação do Clube. A partir daí, parece que ficamos rotulados de “candidatos”. O Sporting não está em eleições. Discordo desta gestão atual, mas daí a dizerem que sou candidato… tudo a seu tempo!

“O Sporting teve muitos sucessos desportivos, mas a sua continuidade está em perigo”

RO: Felizmente que o Sporting teve muitos sucessos desportivos, mas a sua continuidade enquanto coletividade está em perigo. Não sou eu que o digo. Basta ler o que dizem os auditores das contas (Ernst & Young). Podem filosofar o que quiserem sobre as contas, mas, se isto não fosse o Sporting, eu não fazia nenhum investimento no Clube. Os números dizem isso: fugir e vender.

L: Em março pondera avançar?

RO: Não sou candidato e não estamos em eleições. O Sporting tem um conselho diretivo eleito e em funções. Falar de eleições é prematuro. Quero que o Sporting fique em paz, mas que mude a sua gestão. O Clube está a viver um período conturbado. Temos uma Assembleia Geral (AG) no dia 23. Acho que é preciso acalmar os ânimos e confiar que os órgãos sociais façam o seu trabalho. Fomentar o diálogo e não fechar portas pois somos todos Sportinguistas – todos com os mesmos direitos e deveres. Da minha parte o Sporting contará sempre comigo para o que necessitar. Estou disponível para ajudar e contribuir para um Sporting melhor, sempre. Mas acho engraçado colocarem-me na lista de possíveis candidatos pois eu nem sequer sou conhecido dos sportinguistas. Uma candidatura ao sporting é uma coisa séria, que deve ser muito bem ponderada, e incorporada com gente competente e experiente. Não é algo para qualquer um.

“Os Sócios não protestam só contra as contas, mas também contra a forma como o Clube está a ser gerido”

L: Qual a leitura que faz do chumbo do Relatórios e Contas (2019/20) e dos Orçamentos (2020/21 e 2021/22)?

RO: A minha interpretação dos chumbos consecutivos é de que se trata de um claro sinal de que os Sócios não estão contentes. Os Sócios protestam contra as contas, porque são más, mas também porque é a única forma de protestar contra a forma como o Clube está a ser gerido. Este Presidente não tem conseguido unir a família sportinguista.

L: Partilha da opinião defendida pelo Presidente do Sporting de que se trata de uma minoria?

RO: Não acho que se trate de uma minoria. Em 2018, as contas foram aprovadas por estes mesmos Sócios. Lembro que o atual Presidente do Sporting foi eleito por um sexto dos Sócios. Se se tratasse de uma franja, seria muito fácil para Frederico Varandas chamar uma outra franja às AG’s. O que é certo é que ‘eles’ não vieram. Não estou a dizer que estão todos contra o Conselho Diretivo, mas obviamente que a base de apoio de Frederico Varandas não foi suficientemente cativada para vir em sua defesa.

Tenho as minhas dúvidas sobre a próxima Assembleia Geral (23 de outubro), nomeadamente quanto à convocatória e os seus motivos. As coisas não podem ser sempre assim. Não aprovamos contas e depois? Convocamos sempre outra AG?

“Frederico Varandas já deveria ter retirado ilações políticas há muito tempo”

L: Se as contas forem de novo chumbadas pelos Sócios, acha que Frederico Varandas deveria retirar ilações políticas dos resultados?

RO: Frederico Varandas já deveria ter retirado ilações políticas há muito tempo porque só quem está distraído é que não vê o descontentamento dos Sócios. O que parece é que, para o Presidente do Sporting, quem está de acordo com ele é Sportinguista e, quem não está, é uma minoria.

Frederico Varandas tem de ser Presidente de todos os Sportinguistas, gerindo todas as sensibilidades, sabendo que nunca vai existir consenso. O que não pode fazer é pura e simplesmente excluir alguns só porquê não estão de acordo com aquilo que ele diz. A postura de um líder do Sporting deve ser de unir o Clube e não de o fraturar. Em democracia, vive-se com destabilização e com ideias contrárias. Quem é Presidente de um Clube grande como o Sporting tem de estar à altura de ser quase tão grande como o Sporting. Neste momento, parece que anda alguém distraído.

“Termos múltiplos candidatos, como no passado, só vai beneficiar quem lá está”

L: Nas próximas eleições, como é que olha para um cenário em que possam existir várias candidaturas?

RO: É um grande erro. Se querem que haja oposição à atual gestão do Sporting, os possíveis candidatos devem pensar em unir o Sporting para poder contestar esta Direção. Termos múltiplos candidatos, como no passado, só vai beneficiar quem lá está.

Por isso é que, como foi tornado público, existe uma proposta, que subescrevi para que haja uma alteração nos Estatutos de forma a implementar uma segunda volta entre os dois candidatos mais votados, caso nenhum deles tenha mais de 50% dos votos. Esta alteração faz com que, no primeiro dia em que o novo Presidente do Sporting tomar posse, não o faça com uma grande maioria dos Sócios votantes contra si.

Importa lembrar que essa proposta não foi recusada pela Mesa da Assembleia Geral (MAG). O que eu acredito é que o atual Conselho Diretivo não quer que isso aconteça. Se isso vier acontecer, jamais voltarão a ser eleitos.

L: Acredita que a implementação de uma segunda volta pode mudar os resultados das próximas eleições?

RO: Não tenho qualquer dúvida. Se houver uma alternativa credível e os Sócios tiverem de escolher entre esse candidato e Frederico Varandas, não tenho a menor dúvida disso. Isto não é só sobre resultados desportivos, há que assegurar a estabilidade financeira. Recordo que o Barcelona ganhou mais do que quase qualquer outro clube há poucos anos, mas vejam agora a situação de risco e trágica em que se encontra. É verdade que fomos campeões, mas ganhar uma vez não chega. É preciso continuar a ganhar e preparar o futuro. Foi um ano muito especial. Não vejo que estejam reunidas as condições a nível de gestão, nem mitigada a atual péssima situação financeira da SAD,  ou sinais de que a continuidade do Sporting esteja assegurada, para que continuemos a lutar por títulos a que o Sporting deve aspirar. Estamos curtos em muita coisa.

  Comentários