“ENTRARAM PARA ATACAR”
Josip Mišic e Bryan Ruiz foram ouvidos devido a Alcochete
Redação Leonino
Texto
4 de Fevereiro 2020, 20:26

No 25.º dia do Julgamento de Alcochete, foi a vez de Josip Mišic, jogador croata que representava o Sporting CP na altura da Invasão à Academia de Alcochete. O médio confirmou em tribunal ter sido agredido com um “cinto na cabeça, por um indivíduo com parte da cara tapada” durante o ataque e afirmou que após o sucedido nenhum jogador se recusou a falar com o então Presidente do Clube, Bruno de Carvalho.

O agora jogador do PAOK, clube grego, foi ouvido via Skype e descreveu o seu agressor: “Não tinha nenhuma roupa do Sporting CP e tinha uma t-shirt cinzenta”. O jogador explicou ainda que aquando das agressões que foi alvo, não ficou com marca nenhuma nem recebeu assistência médica uma vez que não foi atingido pela fivela. Sobre o ataque, o jogador croata disse que os invasores “entraram para atacar e sem intenção de falar com alguém”.

Já sobre Bruno de Carvalho, Mišic diz que o então presidente chegou meia hora depois do sucedido e que “nenhum jogador se recusou a falar com ele”.

Bryan Ruiz falou da parte da tarde, também via Skype. O internacional costa-riquenho descreveu o ataque: “Várias pessoas a entrar, aos gritos, a ameaçarem jogadores como Battaglia, Montero, Acuña, William e Rui Patrício”. Ruiz avançou ainda que os invasores ameaçaram os jogadores em caso de derrota na Taça de Portugal. No entanto, o jogador que na última temporada jogou no Santos, mas que agora está sem clube, disse que não foi alvo de agressões.

Bruno César também era esperado que fosse ouvido ontem, mas a audição acabou por não acontecer uma vez que o jogador não foi notificado.

Doumbia e Rafael Leão deverão ser ouvidos amanhã, dia 5 de fevereiro.

Fotografia do Sporting CP.

  Comentários