JOGADOR DO SPORTING ESTÁ NOMEADO PARA PRÉMIO INTERNACIONAL, MAS CONFESSA: “NEM PENSEI MUITO NISSO”
Atleta confidenciou, ainda, estar bastante feliz no Clube de Alvalade e falou sobre os 'rivais' na corrida ao galardão
Redação Leonino
Texto
11 de Janeiro 2024, 08:16
Nuno Santos, Marcus Edwards, Viktor Gyokeres, Pedro Gonçalves, Sporting

Nuno Santos revelou, na passada quarta-feira, 10 de janeiro, que, quando marcou o golo, diante do Estoril, que agora está nomeado para o Prémio Puskás, nem pensou “muito nisso”. Em entrevista ao site da FIFA, o craque do Sporting revelou estar muito feliz com a nomeação para este galardão.

“Sendo honesto, quando fiz o golo, na altura nem pensei muito nisso. Depois passaram-se uns dias, as pessoas começaram a falar, eu revi o golo. Na altura, senti que fizemos um bom golo, um golo muito bonito, mas depois disso comecei a pensar quando as pessoas começaram a falar no Clube e fora do Clube”, começou por dizer o ala.

“Nos dias seguintes, pensei que poderia ser o golo do ano na Liga. Sobre o [Prémio] Puskás, mais ou menos, porque há golos espetaculares e fantásticos no Mundo todo e durante o ano inteiro. Sei que não é um golo comum, mas não pensei nisso [Puskás]. Fico muito feliz porque é um momento muito especial para mim”, referiu Nuno Santos.

“Já fiz alguns golos dos quais gosto muito, golos muito especiais e bonitos, mas sem dúvida é especial por ser de letra. É um movimento que não se costuma ver muito no futebol e que eu treino diariamente. Sem dúvida, foi o golo mais bonito porque é um gesto técnico que não se vê muitas vezes. Estou muito feliz”, atirou o atleta leonino.

“O golo de bicicleta do Guilherme Madruga foi fantástico, claro, uma execução muito difícil. Um remate de fora de área e de bicicleta, acho um golo fantástico. Tenho de dar os parabéns. Assim como o golo do Julio Enciso, um golo de fora da área depois de uma jogada coletiva muito boa e um remate fantástico. A bola entra quase na rede lateral, é um golo fantástico também. Qualquer um dos três pode ganhar o prémio”, considerou Nuno Santos.

“Eu e minha família ficámos muito felizes, é claro. É sempre um prestígio enorme estar entre os melhores. Um de nós três [finalistas] vai receber o prémio. É um momento muito bonito para nós. Estaremos [na cerimónia] ao lado dos melhores do Mundo, os melhores jogadores, treinadores, jogadoras, treinadoras, guarda-redes, etc. É, sem dúvida, como estar entre os melhores. Um orgulho enorme para mim e minha família”, finalizou o comandado de Rúben Amorim.

  Comentários