MÉDICO NEGA INCOMPATIBILIDADES COM ESTRUTURA
Em declarações ao Leonino, Manuel Resende Sousa esclarece que saída se deve a motivos profissionais
Redação Leonino
Texto
4 de Fevereiro 2020, 21:12

Manuel Resende Sousa saiu do Sporting CP por motivos profissionais, negando as notícias de que se teria demitido incompatibilizado com a estrutura verde e branca. O responsável médico da equipa olímpica, cargo que assumiu em 2016, esclareceu ao Leonino que tem inclusive “uma dívida de gratidão para com o atual Presidente do Sporting” por o “ter convidado a fazer parte da sua equipa”.

Após a notícia do jornal Público, onde era possível ler que “os atletas do Sporting CP” eram “tratados por médicos da clínica de Varandas”, gerou-se algum mal-estar no corpo clínico dos leões. A edição de hoje do jornal ´O Jogo´ avançou que a saída de Manuel Resende Sousa se devia a incompatibilidades com a estrutura leonina, situação negada agora pelo próprio ao nosso jornal.

Em 2018, após a invasão à Academia de Alcochete, registaram-se uma série de saídas no departamento médico leonino, mas, na altura, Manuel Resende Sousa optou por ficar visto que as modalidades verdes e brancas ainda estavam em competição e o clínico, que estava no Clube desde 2012, entendeu que deveria levar a sua missão até ao fim. Nesse ano, o Sporting CP haveria de se sagrar campeão em todas as quatro modalidades de pavilhão (andebol, futsal, hóquei em patins e voleibol) em que competia.

  Comentários