FOI EMPRESTADO PELO SPORTING E APROVEITOU AO MÁXIMO! AMORIM QUER JOGADOR EM 2024/25
Atleta formado no Clube de Alvalade que havia alinhado por outro emblema português na última época, volta aos leões
Redação Leonino
Texto
11 de Junho 2024, 13:59
Rúben Amorim, Sporting

Com mais de uma dezena de jogadores dos quadros do Sporting emprestados ao longo da última época, Rúben Amorim já decidiu quem mereceu fez o suficiente para merecer um lugar na equipa principal dos leões. Assim, entre os 13 leões que estiveram cedidos, apenas um estará presente no plantel de 2024/25: Mateus Fernandes.

Segundo o diário desportivo Record, apenas o médio de 19 anos, que no último ano alinhou e cresceu pelo Estoril, tem lugar garantido na turma de Amorim que vai lutar pelo bicampeonato. O formado na Academia de Alcochete não perdeu a oportunidade de se destacar nos canarinhos, tornando-se titular (com um golo e três assistências em 35 jogos).

Desta forma, o atleta será o próximo grande projeto do treinador português, à semelhança de Eduardo Quaresma ou Daniel Bragança, que também se destacaram em empréstimos antes de se reafirmarem no plantel principal. Mateus pode mesmo vir a disputar um lugar com este último, a meio-campo, ou até mesmo com Pote, mais adiante, uma vez que Rúben Amorim observa semelhanças entre os dois jogadores.

“Têm caraterísticas parecidas. Vamos ver se conseguimos fazer o mesmo com ele. Mistura um bocadinho de Pote com Matheus Nunes, a carregar a bola”, declarou o treinador, a 11 de maio, após a vitória no Estoril (1-0), assumindo que o criativo “é claramente para estar no Sporting”, o que até podia ter acontecido mais cedo. “No início da época disse que ele estava mais preparado do que o Dário [Essugo] para ficar, mas o facto de estar mais preparado era porque precisava mais de jogar e o Mateus fez isso”, destacou.

Assim, o internacional português sub-21 volta a ser aposta do treinador que levou os leões à conquista do título de campeões nacionais, pelo que será recompensado com um contrato ainda melhor em termos salariais. O atual termina em 2027 e encontra-se protegido por uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros.

  Comentários