LEÃO PERDE NA LUZ E FICA FORA DO PÓDIO
Sporting CP foi derrotado, por 2-1, pelo SL Benfica e terminou no quarto lugar da Liga NOS, com 60 pontos. Andraž Šporar fez o único golo dos rapazes de Alvalade
Duarte Pereira da Silva
Texto
25 de Julho 2020, 23:22
summary_large_image

O Sporting CP perdeu, por 2-1, com o SL Benfica e terminou a Liga NOS no quarto lugar, com 60 pontos, algo que não acontecia desde a temporada de 2012/13, em que o Clube de Alvalade terminou no sétimo lugar. Sefevoric e Carlos Vinícius apontaram os golos encarnados. Para os leões, marcou Andraž Šporar.

O Sporting CP entrou em campo com a certeza de que, caso pontuasse no Estádio da Luz, permaneceria no lugar mais baixo do pódio, ou seja, o resultado conseguido nas últimas duas deslocações ao reduto encarnado – dois empates a uma bola – chegaria para defender o terceiro lugar.

Rúben Amorim optou por lançar os recuperados Jovane Cabral e Andraž Šporar para os lugares de Francisco Geraldes e Tiago Tomás. No entanto, ainda antes do começo do jogo, Sebastián Coates lesionou-se no aquecimento e o técnico verde e branco escolheu Luís Neto para render o uruguaio. Nota ainda para a estreia em dérbis de Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, Matheus Nunes e também do avançado esloveno.

O jogo começou com um Sporting CP personalizado, com mais bola e a pressionar o SL Benfica logo na primeira zona de construção dos encarnados. Aos seis minutos, Jovane Cabral fez o primeiro remate do encontro embora sem perigo. Contudo, a primeira grande ocasião da 309.ª edição do dérbi eterno foi para as águias. Depois de uma perda de bola de Stefan Ristovski, Seferovic soltou para Pizzi, que disparou para defesa segura de Luís Maximiano.

Após uma boa entrada dos leões na partida, os encarnados conseguiram equilibrar a contenda e estavam a ser capazes de impedir os comandados de Rúben Amorim de sair a jogar, roubando inúmeras bolas bem perto da baliza Leonina. Aos 28 minutos, depois de um pontapé de canto batido por Pizzi, Seferovic respondeu da melhor maneira ao passe de Rúben Dias e inaugurou o marcador. Neste lance, nota negativa para Šporar, que ficou com os olhos postos na bola ao invés de acompanhar o movimento do internacional suíço.

Depois do golo o Sporting CP tentou reagir, mas ia demonstrando algumas dificuldades para ferir os encarnados com inúmeros passes errados e desentendimentos entre os jogadores. A verdade é que até foi o SL Benfica que esteve mais perto do segundo golo, com Rúben Dias, novamente no seguimento de um canto, a acertar no poste da baliza defendida por Max.

Desta forma, no final dos primeiros 45 minutos, os encarnados venciam por 1-0 e, depois de uma boa entrada dos leões no jogo, controlaram, com alguma segurança, as incidências da partida.

Ao intervalo, Rúben Amorim, certamente não satisfeito com a prestação dos seus jogadores, decidiu tentar mexer com o jogo através do banco de suplentes. O treinador Leonino retirou Gonzalo Plata das quatro linhas e lançou Tiago Tomás, que se estreou no dérbi eterno. Porém, foram os encarnados, por duas vezes, a estarem novamente perto do golo. Na resposta, numa tremenda arrancada de Nuno Mendes, os leões poderiam ter feito o 1-1. O lateral combinou com Šporar e, na cara de Vlachodimos, rematou para boa intervenção do internacional grego.

Aos 65 minutos, tremenda ocasião de golo para a turma de alvalade. Jardel falhou o corte e Tiago Tomás, com um remate violento, esteve perto de ter uma estreia de sonho do dérbi eterno, mas a bola embateu, com estrondo, no poste da baliza encarnada. Por esta altura, o SC Braga vencia o FC Porto, por 2-1, e roubava o lugar no pódio aos leões.

No entanto, dois minutos depois, o Sporting CP conseguiu chegar ao empate. Numa transição rápida, Andraž Šporar foi lançado, por Tiago Tomás, em profundidade nas costas da defensiva encarnada e, desta feita, o avançado esloveno não facilitou. Um excelente lance por parte dos comandados de Rúben Amorim.

Já dentro dos últimos dez minutos, o treinador verde e branco lançou Luciano Vietto e Cristian Borja para os lugares dos esgotados Jovane Cabral e Nuno Mendes. No caso deste último, nota para a excelente exibição protagonizada pelo jovem lateral.

Aos 88 minutos, o cenário haveria de ficar negro. Pontapé de canto favorável ao SL Benfica e, na insistência, Pizzi cruzou para Carlos Vinícius fazer o 2-1. Num primeiro momento, o árbitro invalidou o golo, mas, depois de chamado à atenção pelo VAR, acabou por validar o golo do avançado brasileiro.

Acontece que o SC Braga venceu o FC Porto, por 2-1 e, assim, o Sporting CP acabou a Liga NOS no quarto lugar, com 60 pontos, algo que não acontecia desde a temporada de 2012/13, em que os leões terminaram no sétimo lugar.

  Comentários