NUM DUELO ENTRE LEÕES VENCEU O REI DA SELVA
Sporting CP venceu os Leões de Porto Salvo por 3-2, com muita emoção à mistura, na sua estreia na Liga Placard
Maria Pinto Jorge
Texto
2 de Outubro 2020, 21:06
summary_large_image

Esta noite de sexta-feira, dia 2 de outubro, o Sporting CP estreou-se na Liga Placard a vencer, por 3-2, os Leões de Porto Salvo, numa partida de grande pressão. A primeira jornada, defrontada no Pavilhão João Rocha foi, como os comandados de Nuno Dias já nos têm habituado, recheado de boas intervenções. Os golos leoninos foram marcados por Cavinato (2) e Cardinal.

As circunstâncias da própria partida tornam-se interessantes. Ainda pré-Covid, no último jogo que o Sporting CP pôde realizar, foi exatamente frente a este mesmo adversário, mas fora de portas, em que os verdes e brancos venceram por 4-1.

A Liga Placard estreia-se, desta forma, com a quadra negra. No cinco inicial dos leões, Nuno Dias apostou em Guitta, Erick Mendonça, Alex Merlim, Cavinato e Cardinal. Do outro lado, Pedro Cary regressou à casa das modalidades leoninas, mas desta vez com outro emblema.

Na verdade, bastaram exatamente 30 segundos… e Cavinato pensou: “O que vim aqui fazer?”, a resposta é simples, golos. O placard foi estreado na primeira jogada, com o número 17 leonino a marcar passo.

Notava-se, inteiramente, uma total pressão alta dos homens da casa, até com Guitta no meio campo dos forasteiros. Ainda assim, a primeira oportunidade do clube de Porto Salvo surgiu aos três minutos de jogo, pelo pé de Ré, num duelo nítido de força com Erick, com este mesmo a levar a melhor.

A resposta foi simples. Qualquer leão, isto é, um rei da selva, não gosta de se sentir ameaçado. Então, na jogada seguinte, Cardinal não hesitou no momento do remate e fez o segundo. Bebé, um velho conhecido guarda-redes para o Sporting CP, sobretudo por más razões, fiou mal na fotografia, sendo mal batido e levando com a bola nas costas. Estava feito o 2-0.

Outro conhecido do Clube de Alvalade, é André Galvão, que realizou a formação de verde e branco. Um jogado desde sempre difícil de parar, mas com Erick pela frente e a dar trabalho. Por esta altura, notavam-se boas investidas leoninas, sobretudo pelo lado direito da ala, por Pany Varela a tentar combinar com Zicky. No entanto, um imprevisto, o critério apertado da arbitragem, os comandados de Nuno Dias, a meio da primeira parte (11’), já contavam com as cinco faltas.

À passagem pelos 16 minutos de jogo, livre de 10 metros para os Leões de Porto Salvo, com Dani, atleta formado nos leões, encarregue de marcar e enfrentar Gonçalo Portugal. Ainda assim, a bola saiu muito por cima.

Uma primeira parte de linhas muito avançadas pela parte do Sporting CP, com mais espaço e, neste momento final, a tentar evitar qualquer tipo de faltas, o que conseguiram até à chegada do minuto 20.

No regresso dos balneários, quem entrou mais agressivo foi a equipa da linha de Cascais. Aos 24 minutos, Pedro Cary rematou sem medos, mas para grande defesa de Guitta.

Prova da pressão realizada pelos Leões de Porto Salvo, aos 25 minutos, acabaram por reduzir para a vantagem mínima. Com Rodrigo Hiroshi a ser o protagonista, após investida de Ré, o marcador mostrava 2-1.

O jogo tornou-se muito mais aberto, com ambas as equipas a quererem atacar mais e marcar. De um lado, víamos Bebé a redimir-se na baliza, evitando todos os remates que vinham dos verdes e brancos. Tentou Cardinal, Taynan, Pany Varela (38’), mas nada saía, apenas as grandes defesas do guardião da equipa adversária.

A apenas dois minutos e meio do final da partida, o inevitável acontece. Os Leões de Porto Salvo começam a estratégia de 5 para 4. O que resultou. A pouco mais de um minuto do final da partida, o empate, desta vez pelo pé de André Galvão.

Livre importante para o Sporting CP, logo de seguida, com o lance de bola parada bem preparada, Cavinato marca com uma tremenda bomba e volta a colocar os homens da Listada verde e branca em vantagem, por 3-2. Mais um jogo de futsal disputado até ao final e impróprio para cardíacos.

Nos segundos finais, o Clube de Alvalade fez apenas aquilo que devia e podia, defender de forma coesa e esperar pela vitória que, felizmente, aconteceu. Estão conquistados os primeiros três pontos para os leões, que se estreiam, assim, com um triunfo.

Na próxima jornada, marcada para dia 7 de outubro, o Sporting CP joga no reduto da Quinta dos Lombos, em jogo a contar para a segunda jornada da Liga Placard, pelas 18h00.

Fotografia de Sporting CP

  Comentários