PSP DETÉM SETE SUSPEITOS POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO A CARDINAL
Elementos da claque No Name Boys estão indiciados por vários crimes. Incidente remonta a 25 de junho de 2019
João Estanislau
Texto
17 de Agosto 2020, 11:41
summary_large_image

A PSP deteve sete elementos da claque No Name Boys por tentativa de homicídio a Cardinal, jogador da equipa de futsal do Sporting CP. Ao todo, os suspeitos estão indiciados de tentativa de homicídio, roubo, danos, furto, ofensas à integridade física qualificada e posse de arma ilegal. As detenções tiveram lugar no passado dia 25 de junho e ocorreram na sequência da operação “Sem Rosto”.

A emboscada a Cardinal teve lugar a 9 de junho de 2019, após o término do terceiro jogo da final do campeonato de futsal da última época, a 9 de junho de 2019, que deu a vitória benfiquista sobre o Sporting CP. Em Alvalade, adeptos afetos à claque No Name Boys, esperaram, insultaram e convidaram Fernando Cardinal para uma rixa.

Após a partida, os jogadores leoninos dirigiram-se para o Pavilhão João Rocha para receberem tratamento. De seguida, foram para as suas viaturas particulares, sendo que um grupo de quatro elementos dos No Name Boys pretendia um ajuste de contas com o jogador verde e branco.

Os insultos foram menos próprios, ouvindo-se “olha o Cardinal! Filho da p…! Já vais ver, vamos já aí!”. Perante esta ameaça, o atleta que se fazia acompanhar de outros três companheiros, refugiou-se no interior do multidesportivo.

Na porta do pavilhão, os insultos e desafios continuaram: “Anda cá para fora! Mano a mano. Só eu e tu, ninguém se mete!” – algo a que Cardinal não correspondeu.

“És um porco, és um filho da p…, metes nojo! Vem aqui, mano a mano. Sei onde é que tu moras. Grava a minha cara, o mundo dá a volta e eu vou-te apanhar; o melhor é saíres de Lisboa! Lembras-te daquela outra situação no Infante Sagres? Eu não me esqueço.” – insistiram os adeptos afetos à claque.

Segundo o Ministério Publico, a presença de um agente da PSP fez com que os suspeitos parassem de se dirigir ao jogador Leonino e abandonassem o local.

Recorde-se que, na altura, e depois de Miguel Albuquerque, Diretor das Modalidades Leoninas, ter denunciado a situação, o SL Benfica desmentiu, em comunicado, que estas ocorrências tenham acontecido e inclusive fez referência que a PSP não tinha registo de qualquer ocorrência.

  Comentários