SEM JOÃO PALHINHA DE INÍCIO, A HISTÓRIA É OUTRA: MARCO SILVA PERDE COM AVANÇADO QUERIDO DOS ADEPTOS DO SPORTING E DESESPERA
Fulham saiu derrotado em encontro válido para a 28.ª ronda do campeonato inglês
Redação Leonino
Texto
10 de Março 2024, 19:18
marco silva - joão palhinha - fulham, SPORTING

O Fulham, de Marco Silva, perdeu, por 2-1, na visita ao terreno do Wolverhampton, em partida da 28.ª jornada da Premier League. Com João Palhinha a começar a partida no banco de suplentes, os cottagers caíram perante a formaçaõ de Pablo Sarabia – que deixou muitas saudades aos adeptos do Sporting.

A primeira parte terminou sem golos, mas com uma baixa na turma dos Wolves. Gary O’Neil viu-se obrigado a substituir o português Pedro Neto, antigo alvo dos leões, por Toti Gomes, aos 45’+1. O avançado luso, que fez 24 anos no dia do jogo, recebeu um presente desagradável, tendo contraído uma lesão muscular na coxa que o impediu de continuar em campo.

Toti Gomes, mais um português no jogo britânico repleto de portugueses (além do lesionado Neto, também José Sá e Nélson Semedo foram titulares dos lobos), foi responsável pela assistência para o primeiro tento do encontro, que teve lugar somente aos 52 minutos, com remate de Ait-Nouri.

Aos 67 minutos, foi a vez de o antigo jogador do Benfica, Nélson Semedo, ajudar a aumentar a vantagem da equipa da casa. O lateral tentou rematar de fora da área e a bola acabou por embater em Tom Cairney, médio do Fulham, antes de entrar na baliza de Bernd Leno.

O Fulham não conseguiram aproveitar as oportunidades que foi criando para reduzir a distância no marcador – pelo menos, não até uma altura em que o apito estava já quase a marcar o fim do jogo. Alex Iwobi marcou (90+9′), mas já foi tarde para os londrinos empatarem o jogo.

No final do encontro, Marco Silva, ex treinador do Sporting, mostrou-se pouco agradado: “Temos de estar frustrados. Grande deceção para nós. Criámos oportunidades suficientes para ganhar o jogo, essa é a realidade. Começámos muito, muito mal esta segunda parte. Não fomos com a intensidade que queríamos e demos-lhes a oportunidade de nos pressionar. Demos-lhes a bola em posições que não devíamos e os golos chegaram nesses momentos”, atirou.

  Comentários