SPORTING DOMINA E VENCE DÉRBI
Leões de Porto Salvo são o adversário que se segue
Rodrigo Soares Fernandes
Texto
12 de Março 2020, 23:10
summary_large_image

Último jogo em Portugal durante um período que se espera curto, mas que não se pode afirmar que tal venha a acontecer, devido ao Covid-19. Sporting CP e SL Benfica num dérbi dos quartos de final da Taça de Portugal e a equipa de Nuno Dias levou a melhor, ao vencer por 5-3.

A equipa de Nuno Dias entrou com tudo e no primeiro minuto Pauleta teve dois lances de perigo, mas em ambos os casos Roncaglio levou a melhor. Foi totalmente contra a corrente do jogo que a equipa encarnada marcou. Robinho, no primeiro remate do SL Benfica, enviou a bola ao poste, mas, na recarga, Fernandinho marcou.

Menos de 30 segundos depois, Taynan empatou o jogo na sequência de um canto com um remate de fora da área. Os leões continuavam a dominar o jogo em todos os parâmetros e Cardinal ficou muito perto da reviravolta, após um excelente trabalho individual.

Roncaglio voltou a brilhar após remate de Alex e, pouco depois, Pany Varela tentou surpreender num contra-ataque 2×1, mas o seu remate saiu ao lado. Estavam jogados pouco mais de nove minutos quando o Sporting CP finalmente passou para a frente do marcador. Uma excelente saída da pressão defensiva encarnada, em que Léo descobriu Cavinato, que por sua vez colocou a bola em Taynan, para o bis do número 3.

Nos minutos seguintes, o Sporting CP continuou a ter mais bola, mas a equipa encarnada começou a subir no encontro e Gonçalo Portugal também foi obrigado a algumas boas intervenções, algumas delas impedindo alguns golos.

Vantagem justa ao intervalo, com o resultado a poder ser superior do que apenas por 2-1.

A segunda parte começou com o Benfica por cima, atacando em 5×4 com Roncaglio na frente, o que causou algumas dificuldades à equipa de Nuno Dias. No entanto, os remates raramente iam à baliza defendida por Gonçalo Portugal.

Robinho teve, finalmente, uma boa oportunidade de golo, com excelente defesa de Gonçalo e, no contra-ataque, Taynan levou a bola o campo todo e meteu em Cardinal, que só teve de encostar para o fundo das redes da baliza para o 3-1. O guarda-redes da equipa adversária fica mal na fotografia, num lance em que estavam quatro jogadores encarnados – contando com Roncaglio – contra apenas dois jogadores do Sporting.

A segunda parte começou com o Benfica por cima, atacando em 5×4 com Roncaglio na frente, o que causou algumas dificuldades à equipa de Nuno Dias. No entanto, os remates raramente iam à baliza defendida por Gonçalo Portugal.

Robinho teve finalmente uma boa oportunidade de golo, com excelente defesa de Gonçalo e no contra-ataque Taynan levou a bola o campo todo e meteu em Cardinal, que só teve de encostar. O guarda-redes da equipa adversária fica mal na fotografia, num lance em que estavam quatro jogadores encarnados – contando com Roncaglio – contra apenas dois do Sporting CP.

Com cerca de seis minutos da segunda parte, Miguel Ângelo surpreendeu tudo e todos e rematou do meio da rua, reduzindo a desvantagem. Foram precisos menos de 15 segundos para os verdes e brancos voltarem a ter dois golos de vantagem. João Matos pressionou Robinho, que perdeu a bola, e o capitão do Sporting CP rematou à entrada da área para o 4-2.

O rival da segunda circular continuava a avançar Roncaglio e, com isto, a ficar com muito mais posse de bola, mas raramente testava Gonçalo Portugal. Tiago Brito num contra-ataque voltou a reduzir a desvantagem, num dos raros erros defensivos da equipa de Nuno Dias.

O Sporting CP, desta vez, teve de esperar cerca de um minuto para voltar a marcar. Excelente gesto técnico de Pany Varela, que colocou a bola em Alex, que viu Pauleta sozinho do lado oposto do campo e este apenas teve de fazer um passe para a baliza encarnada. Estava feito o 5-3 com cerca de oito minutos para jogar.

Este golo abriu mais o jogo, com as duas equipas a serem mais rápidas a chegarem às balizas adversárias. Com Gonçalo Portugal a ter mais trabalho, mas a nunca comprometer, evitando vários lances que iriam dar golo.

A cerca de cinco minutos do fim, Bruno Coelho passou a ser o guarda-redes avançado, mas a defesa leonina estava muito forte e raramente permitia remates. No entanto, no primeiro remate que conseguiram, em mais de um minuto, Robinho enviou a bola ao poste depois de Gonçalo ainda tocar no esférico. Os encarnados iam trocando muito a bola, mas não conseguir desmontar a defesa de Nuno Dias. A cerca de minuto e meio do fim Cardinal enviou uma bola ao poste, num golo que encerraria o jogo.

Não foi necessário este golo e os leões estão mesmo nas meias-finais, não se sabendo ainda quando as mesmas vão ser disputadas. Os Leões de Porto Salvo são o adversário que se segue.

  Comentários