SPORTING - PORTO: TRANSMISSÃO, ONZE PROVÁVEL, HORÁRIOS E MUITO MAIS...
Final da Taça de Portugal está agendada para as 17h15 do próximo dia 26 de maio e pode consumar primeira dobradinha dos leões em 22 anos
Redação Leonino
Texto
25 de Maio 2024, 15:13
Koba, Trincão, Fresneda, Paulinho, Gyokeres, Nuno Santos, Morita, Hjulmand, Coates, Sporting, Porto, Frederico Varandas

Sporting e Porto enfrentam-se neste que será o último jogo oficial antes da paragem para o Campeonato da Europa. A grande final da Taça de Portugal está marcada para o próximo domingo, dia 26 de maio, no Estádio Nacional do Jamor. O pontapé de saída está agendado para as 17h15.

Onze provável do Sporting de Rúben Amorim: Diogo Pinto; Ousmane Diomande, Sebastián Coates, Gonçalo Inácio; Geny Catamo, Morten Hjulmand, Hidemasa Morita, Nuno Santos; Francisco Trincão, Viktor Gyokeres e Pedro Gonçalves.

Diogo Pinto vai ser titular no Jamor. O jovem guardião assumiu o lugar do lesionado Franco Israel e vai começar de início. À sua frente deverá ter um trio de centrais composto por Ousmane Diomande pela direita (embora Amorim tenha algumas dúvidas) Gonçalo Inácio pela esquerda e Sebastián Coates no centro, a liderar a linha defensiva dos leões.

Nuno Santos assumirá a ala canhota, algo que não aconteceu nos dois Clássicos desta temporada, uma vez que Matheus Reis é ausência confirmada. Geny Catamo está recuperado e deverá ocupar a faixa do lado direito. Morten Hjulmand e Hidemasa Morita serão titulares no meio-campo verde e branco.

O tridente ofensivo deverá contar com Francisco Trincão e Pedro Gonçalves, no apoio a Viktor Gyokeres. O trio tem jogado a maior parte dos encontros, dando espaço a Paulinho e Marcus Edwards para saltarem do banco, em caso de necessidade.

Informações: Domingo – 26 de maio – 17h15– Estádio Nacional do Jamor – RTP1

Quem está fora: Antonio Adán, Franco Israel e Matheus Reis (lesão)

Equipa de Arbitragem: Árbitro: Fábio Veríssimo; Assistentes: Pedro Martins e Hugo Marques; 4.º árbitro: André Narciso; VAR: João Pinheiro; AVAR: Fábio Melo e Luciano Maia.

  Comentários