VALEU O GOLO MADRUGADOR
Leões, agora com o LASK Linz à vista, seguem para a próxima eliminatória da Liga Europa depois de vencerem o Aberdeen FC. Tiago Tomás marcou o único golo do encontro
Maria Pinto Jorge
Texto
24 de Setembro 2020, 22:01
summary_large_image

A Europa, esta noite, voltou a estar de olhos postos no Estádio José Alvalade. No relvado víamos o início da temporada por parte do Sporting CP, em partida a contar para a 3.ª pré-eliminatória da Liga Europa, diante do Aberdeen FC, a quem a equipa de Rúben Amorim venceu por 1-0, passando, agora, à próxima eliminatória, já com adversário definido: LASK Linz.

Num início da partida, era possível notar-se uma clara evidência: este era o primeiro jogo oficial dos leões, enquanto para o Aberdeen já era o nono. Tudo isto, por parte da equipa da casa, devido às condicionantes que o Clube passou com o Covid-19. Sem treinador no banco, sem muitas peças influentes, mas os homens de verde e branco entraram num 3-4-3 eficaz, com o ataque entregue a Jovane Cabral e Tiago Tomás. Notava-se, portanto, Jovane na zona central, Tiago Tomás à direita e, à esquerda, Vietto.

Assim, a bola voltou a rolar em Alvalade, com o pontapé inicial dado pela formação vinda da Escócia. Na abertura do encontro, o Aberdeen começou a não permitiu a saída de jogo dos leões, com uma maior agressividade e pressão alta. No entanto, o Sporting CP apenas demorou cinco minutos para se organizar. A prova disso vem já a seguir.

Corria o sétimo minuto de jogo no paraíso terreno dos Sportinguistas e, com uma recuperação de bola de Wendel, a abrir para Vietto, este apenas teve de lançar Tiago Tomás, que se encontrava solto na área e bastou rematar nessa passada e estava aberto o marcador, 1-0 para o Sporting CP. Foi importante marcar cedo, mas não é apenas isso que devemos reter. Com este golo, o jovem da formação fez história, tornando-se o mais jovem de sempre a marcar pelo Sporting CP nas provas da UEFA no jogo de estreia (18 anos, 3 meses e 9 dias) e, ainda, o segundo mais jovem de sempre a marcar de Listada verde e branca numa prova igual.

A partir deste momento, os leões começaram a controlar o campo por completo. Com 74% de posse de bola, a turma leonina marcou na única oportunidade que teve dentro da área do Aberdeen.

À passagem pelo minuto 14, deu-se o primeiro susto para a baliza de Adán. McGeouch cruzou pela direita em arco na tentativa de surpreender o guardião verde e branco, mas o mesmo afastou a redondinha com um soco, com a mesma a passar junto à trave. Na verdade, a equipa de Rúben Amorim demonstrava mesmo uma defesa bem definida e com alguma segurança.

As opções encontradas pelo Aberdeen começaram a ser notadas – e evidentes – quando começaram a atacar pela esquerda, onde se encontrava Porro. No entanto, pelos 25 minutos, os escoceses não fizeram dessa uma grande vantagem da sua parte.

E por falar em lados, algures pelos 40 minutos, o Sporting CP definia-se, em quase metade dos seus ataques (46,8%), pelo lado oposto: o flanco direito, exatamente onde se encontrava Tiago Tomás. Aqui, os leões apenas se importavam em gerir, na sua totalidade, a posse de bola. Nessa mesma altura, Lewis, guarda-redes do Aberdeen, ‘salva’ o aumento da vantagem por parte dos leões, com uma defesa apertada (40’). Canto de Nuno Mendes que sobra para Jovane Cabral, mas que acaba por ser travado. O jogo acabaria por ir 1-0 para o intervalo. Realçamos aqui que o Sporting CP não saía ao intervalo em casa a vencer, frente a uma equipa escocesa, desde 1993, ano em que venceu o Celtic.

A superioridade do Sporting CP não era questionável, no entanto, as fragilidades do adversário eram bem claras e os homens de verde e branco podiam muito bem ter tirado vantagem disso mesmo. Uma primeira parte que vale pelo golo de Tiago Tomás, mas uma exibição a meio gás na sua generalidade.

No regresso dos balneários, nenhuma das formações haviam sofrido qualquer tipo de alteração no seu onze. A partida, por sua vez, esteve quase a repetir o melhor momento dos primeiros 45 minutos: depois de um cruzamento quase perfeito de Porro, Tiago Tomás esteve muito perto de bisar, encontrando-se sem qualquer marcação, mas com o cabeceamento a rasar a barra da baliza de Lewis.

Quando o relógio marcava mais de uma hora de jogo, o Aberdeen começou a pressionar um pouco mais a defesa dos leões, mas a equipa acabava por não encontrar soluções para chegar ao empate. Por sua vez, o Clube de Alvalade, que continuava com posse, mas ia-se mostrando algo previsível a nível do ataque.

Na ordem de tentar o empate, os forasteiros faziam o que podiam. À passagem pelo minuto 81, Hedges rematou de fora da área, mas a bola acabou por ser desviada e por sair pela linha de fundo. Os sustos, no final, não terminavam, algo ao qual o coração de um Sportinguista já está habituado. Novamente Hedges aparece em boa posição à entrada da área e prepara o pé esquerdo (88’), mas o remate sai ligeiramente ao lado, apesar de assustar (e muito) os leões.

Claramente nervosos durante os momentos finais do encontro, os leões faziam faltas desnecessárias, que acabavam por causar lances de bola parada à equipa escocesa. Uma fase final de algum sofrimento, mas o resultado acabaria por não se alterar.

O Sporting CP, ao vencer por 1-0 o Aberdeen, com um golo do jovem Tiago Tomás, passa assim a mais uma eliminatória da Liga Europa, na qual irá encontrar o LASK Linz, depois de os austríacos golearem o Dunajská Streda (Eslováquia) por 7-0.

Antes desse encontro, os leões ainda vão viajar até à capital do móvel, este domingo (27 de setembro), para a sua estreia na Liga NOS, frente ao Paços de Ferreira, pelas 18h30.

Fotografia de Sporting CP.

 

  Comentários