ANTIGO TREINADOR DO SPORTING AVALIA TRANSFERÊNCIA DE EXTREMO DA FORMAÇÃO DOS LEÕES: "SINAL POSITIVO PARA ELE"
Atleta quer mudança na carreira, depois de várias temporadas ao serviço das mesmas cores
Redação Leonino
Texto
3 de Janeiro 2024, 17:17

A mudança de Gelson Fernandes para o Olympiacos foi oficializada, na passada terça-feira, dia 2 de janeiro, sendo que o extremo da formação do Sporting não estava a ter tempo do jogo no Mónaco. Francisco Barão, que orientou o atleta nas camadas de formação dos leões, acredita que foi a melhor decisão para Gelson.

“O facto de ser um clube com portugueses, tem o diretor desportivo e também o Carvalhal como treinador, dá logo o sinal de ser uma aposta bem pensada, não podem correr o risco de as pessoas pensarem que só o foram buscar por ser português. Ao Gelson também demonstram que confiam nele, que estão a apostar e isso é um sinal positivo para ele”, começa por dizer o agora técnico do ADCEO.

“O Gelson, que conheço desde a formação, era um miúdo envergonhado, tímido. Sempre foi muito calmo, obediente e se calhar falta-lhe alguma explosão em campo. Quando saiu do Sporting pensei que ia melhorar essa parte, a de se tornar mais individualista quando tem de ser. Ele é um jogador de equipa, cruza muito bem e pensa muito no colectivo, vê-se na forma como ajuda a equipa a defender. Isso é bom mas também tem de arriscar mais, de ir para cima do adversário pois tem qualidade para ganhar duelos”, fundamentou Francisco Barão, em declarações prestadas ao jornal Record, esta quarta-feira, dia 3 de janeiro.

“Hoje em dia a idade é muito subjectiva em relação aos jogadores de futebol. Veja-se o caso do melhor do mundo, o nível em que está o Cristiano Ronaldo aos 38 anos. No meu tempo de jogador aos 30 anos já nos consideravam veteranos e estávamos para acabar a carreira. Agora não é assim e o Gelson, com 28 anos, tem ainda umas 7 ou 8 épocas pela frente, no Olympiacos tem tudo para voltar ao seu melhor”, acrescentou o timoneiro luso.

“Sem dúvida. Ele esteve muito tempo no Monaco e mesmo jogando muito e apresentando bons números de certa forma perdeu visibilidade pois o clube não é do topo. Na Grécia vai estar bem acompanhado e num clube que luta por títulos e que normalmente está nas competições europeias. Se tudo correr bem até pode reabrir as portas da Seleção Nacional”, terminou a sua intervenção.

No Mónaco, Gelson Martins fez cerca de 129 jogos, onde marcou por 16 ocasiões e assistiu por 14, não tendo uma passagem muito feliz pelo emblema gaulês, visto que acabou posto de parte e sem pisar qualquer relvado.

  Comentários