CAMPEÃO PELO SPORTING E A FESTA NO MARQUÊS: "SUBI AOS ANDAIMES PARA FICAR COM AQUELA IMAGEM"
Futebolista dos leões lembra noite memorável junto dos adeptos verdes e brancos nas ruas de Lisboa
Redação Leonino
Texto
30 de Maio 2024, 19:21
Sporting, Campeão, Marquês de Pombal, Rúben Amorim

Antonio Adán está de saída do Sporting, após quatro temporadas de Leão ao peito. O guarda-redes concedeu uma entrevista ao canal oficial do Clube e fez um balanço à sua estadia em Alvalade. O espanhol recorda a festa do título no Marquês de Pombal e conta que subiu aos andaimes para “ficar com aquela imagem da praça cheia de gente” na cabeça.

“Foi um dia inacreditável. O jogo do Benfica era às 20h30 e estávamos um pouco na dúvida porque as pessoas só deviam ir para a rua quase à meia-noite, sendo que no dia seguinte tinham de ir trabalhar. Não esperávamos um ambiente daqueles. Quando chegámos ao Marquês e subi aos andaimes só tinha uma preocupação: ficar com aquela imagem da praça cheia de gente”, confessou, comentando a vitória em casa frente ao Benfica (2-1).

“Aí sentimos que, apesar de eles ainda poderem aproximar-se, a equipa estava a jogar muito bem e com uma confiança tremenda. O jogo em casa do Estrela da Amadora também parecia que podia complicar-se, mas acabámos por ganhar. Acho que era claro que este ano ia cair para nós”, sublinhou.

“Quero deixar um agradecimento aos adeptos, ao presidente, ao diretor desportivo e ao mister, que me trouxeram para cá, confiaram em mim e mostraram respeito pelo meu trabalho. Também ao staff e as pessoas que convivem connosco na Academia, cozinheiros e pessoas da limpeza. Agradecer ainda aos meus colegas porque, apesar de ter partilhado o balneário com jogadores historicamente muito importantes em grandes clubes, este é especial”, vincou.

“Dentro do balneário há uma família, um staff, com fisioterapeutas, médicos e roupeiros que nos fazem sentir diariamente que estamos em casa. Falo muitas vezes disto com a minha mulher, passamos mais tempo com todas estas pessoas do que com a nossa família e torna-se uma relação especial. Isso vai ser o mais complicado, deixar de ver os amigos que fiz e as pessoas especiais que fazem parte do clube”, reforçou.

“Sabia que vinha para um grande clube. A história do Sporting é enorme e a quantidade de troféus que há no Museu demonstra isso mesmo. Poucos clubes na Europa e em Portugal conseguem mobilizar tantos adeptos como o Sporting. Conhecia o clube que vinha representar, mas não tinha noção de que íamos conseguir tanto como conseguimos nestes quatro anos. Saiu muito melhor do que esperava”, rematou.

  Comentários