EMPATE NO DÉRBI ETERNO
Leões empataram, na Luz, por 1-1. O golo dos verdes e brancos foi marcado por Alessandro Verona
Maria Pinto Jorge
Texto
10 de Outubro 2020, 20:00
summary_large_image

Leões e águias entraram, este sábado à tarde (10 de outubro), no rinque do Pavilhão da Luz para discutirem os pontos da 3.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins, onde acabaram por dividir pontos, empatando a uma bola (1-1). Pode ver todas as incidências ao minuto AQUI.

Com uma primeira parte bastante equilibrada, o encontro ia-se jogando a um ritmo alucinante, com as duas equipas a jogarem na ação do contra-ataque. A explicação é simples, de ambos os lados, existiam dois guardiões de grande qualidade: Ângelo Girão (Sporting CP) e Pedro Henriques (SL Benfica). Ainda que sem supremacia evidente, os encarnados atacavam mais e mostravam-se mais pressionantes, enquanto os leões apostavam na defesa à zona, o que permitia exatamente essa ação por parte da equipa da casa.

Passavam apenas quatro minutos que, Ferran Font, rematou com toda a força para a defesa dos homens da casa. Nestes ataques se notava a ambição de duas equipas que ainda não haviam perdido pontos no Campeonato. No entanto, foi mesmo aos cinco minutos que Toni Pérez esteve muito perto de abrir o marcador.

À passagem pelo minuto sete, já denotava quem comandava a equipa da casa que, à semelhança de quase todas as suas partidas, era Nicolia a cara da formação encarnada, mostrando-se o atleta mais ativo das águias até ao momento. E, graças a ele mesmo, passados 10 minutos o SL Benfica mostrava um maior ascendente no encontro.

Aos 12 minutos, foi a vez de Gonçalo Pinto tentar marcar, com a tentativa de uma ´picadinha’, comum na modalidade, mas sem resultado, Ângelo Girão mostrava-se uma muralha na liza leonina. Com um claro equilíbrio à passagem pelo primeiro quarto de hora, as principais figuras eram mesmo os guarda-redes, devido ao jogo muito vivo que se jogava e à intensidade do mesmo.

O relógio marcava 17 minutos e Pedro Gil, capitão leonino, remata ao poste. Mais uma demonstração de tremenda experiência do atleta, a tentar um túnel, mas sem o efeito pretendido.

A oportunidade mais importante dos leões chegou aos 18 minutos, com uma grande penalidade favorável aos comandados de Paulo Freitas. No entanto, no frente a frente de Toni Peréz e Pedro Henriques, o atleta dos leões acaba por atirar por cima. Até ao intervalo, o resultado não se alteraria, ficando, tal como começou, 0-0.

No regresso dos balneários, os encarnados entraram melhores dentro do rinque e com vontade de marcar, algo que criou maiores dificuldades a Girão, no entanto, o mesmo não vacilou.

Ainda assim, chegou outra grande penalidade para o Sporting CP. Falta de Diogo Rafael sobre Romero e, desta vez, foi Alessandro Verona a tomar a responsabilidade da marcação. Com a sua frieza, inaugurou o marcador (28’) e os verdes e brancos encontravam-se a vencer, na Luz, por uma bola.

Como se considerava que Verona estava com o stick quente, nova penalidade para os leões (30’), mas que, desta vez, mesmo após repetição, o mesmo não conseguiu converter, rematando a bola ao lado e, na recarga, enorme defesa de Pedro Henriques.

Quem não marca sofre e, com esta oportunidade desperdiçada para a formação leonina, os encarnados fizeram de tudo para chegarem ao empate. Aos 35 minutos do SL Benfica, após de grande execução de Lucas Ordoñez, a apontar para 1-1.

A partir deste momento, os homens de Alvalade mostravam-se mais nervosos e menos confiantes. No entanto, Girão demonstrou que não existia necessidade pois, na conversão da décima falta, a favor das águias, o mesmo defendeu mais uma vez.

Aos 37 minutos deu-se o caso mais polémico da partida, quando os pupilos leoninos já festejavam o golo, quando a equipa de arbitragem manda seguir, por considerar que a mesma não passou a linha de golo.

Até ao final do encontro, o resultado não se alterou e os leões e águias dividiram pontos, pela primeira vez, neste campeonato.

Na próxima jornada, marcada para dia 18 de outubro, o Sporting CP recebe, no Pavilhão João Rocha, o Famalicense AC.

  Comentários