"ESTA DECISÃO PROTEGE OS INTERESSES DE TODOS"
Mais quatro atletas olímpicos do Sporting CP comentaram a decisão de adiar a competição
Redação Leonino
Texto
26 de Março 2020, 16:00

O adiamento dos Jogos Olímpicos continua a ser um dos temas do momento no mundo desportivo. A pandemia do Covid-19 tem afetado o mundo todo e em todas as áreas, com o desporto a não ser exceção.

Diogo Ganchinho, Carla Salomé Rocha e Alexis Santos, atletas do Gabinete Olímpico do Sporting Clube de Portugal, comentaram na noite de ontem, através do ‘Sporting Grande Jornal’ – programa da Sporting TV – este adiamento.

“Esta decisão protege os interesses não só dos atletas e da comunidade olímpica, mas também de todos os cidadãos. A organização dos JO envolve, além de desportistas e respetivos treinadores, muitos voluntários e público. Esta é uma decisão responsável e que nos dá ânimo para continuarmos a acreditar no sonho olímpico. Alguns atletas estavam muito preocupados não só com as condições que teriam para se prepararem, mas também com a questão de quão justos seriam uns JO realizados nesta fase. É unânime que esta decisão veio apaziguar o estado de espírito da comunidade”, considerou o ginasta Pedro Ganchinho.

Já Salomé Rocha, corredora verde e branca que já estava apurada para a maratona, disse que esta “é uma notícia triste, mas ao mesmo tempo compreensível”.

“Estamos a passar por um momento muito complicado e a prioridade é que possamos criar condições para ultrapassar esta situação o mais depressa possível. Tínhamos delineado um plano competitivo de treino tendo em conta a realização dos JO em Agosto de 2020. Teremos de reformular esta questão e criar um novo plano. Por enquanto não será fácil, pois não sabemos quando estarão reunidas todas as condições de segurança e quando irão permitir novas competições”, referiu.

Já Alexis Santos, nadador leonino que vai estar presente nos 200m estilos, afirmou que esta “foi a decisão certa, apesar de ter demorado algum tempo a ser tomada”.

“Era inevitável tendo em conta a situação que vivemos atualmente. Há atletas que não estão a conseguir treinar de todo e outros que o fazem de forma muito limitada. Seria uma desigualdade enorme e os JO querem transmitir exatamente o contrário: igualdade, união e espírito de equipa. Caso os JO se realizassem nas datas inicialmente previstas, seria bastante injusto para todos e, por isso, fico contente com este adiamento”, disse.

Também João Vieira comentou o adiamento, mas à Lusa. Vice-campeão do Mundo dos 50Km marcha, o atleta sai um pouco prejudicado porque vai chegar a Tóquio já com 45 anos, mas concorda com a decisão.

“Acho que é a atitude mais sensata que poderiam ter tido. Acho que todos os desportistas deste mundo estavam a contar com este adiamento. Competir ao mais alto nível com 44 anos não é fácil para ninguém e ter de esperar mais um ano… Vai ter de ser. Quero terminar a carreira nos Jogos Olímpicos ou mais tarde. Vamos ver. Vou lutar com as armas que tenho para estar nos Jogos Olímpicos do próximo ano”, resumiu o vice-campeão do mundo dos 50 quilómetros marcha, em declarações à Lusa.

Fotografia do Sporting CP.

  Comentários